Mais de 50.000 advogados encontraram tranquilidade na rotina jurídica com o Astrea! ✌️ Comece grátis

12 jun 2020
ìcone Relógio Artigo atualizado 25 ago 2021
Direito imobiliário é o ramo do direito privado que regula qualquer tipo de discussão jurídica envolvendo bens imóveis, mesmo que essa relação também seja estudada por outro ramo do direito. 

Mesmo após a bolha imobiliária e em períodos de crise financeira, temos inúmeras transações ocorrendo diariamente envolvendo direito imobiliário no Brasil. Assim, podemos afirmar que é uma área em constante crescimento no país.

E, apesar de sua popularidade e crescimento, muitos advogados ainda têm uma visão limitada do tema. Alguns, por exemplo, acreditam que ele se limita a operações de compra e venda de imóveis.

No entanto, quando examinamos mais de perto, vemos que não se limita apenas a isso. Na verdade, a atuação e engloba várias outras operações e diversas áreas do direito. Então, nesse texto, além de trazer definições mais técnicas, apresento algumas possibilidades de atuação para os profissionais que se interessam pelo assunto.

O que é direito imobiliário

Para explicar o que é direito imobiliário, vou fugir da classificação tradicional que diz ser um ramo do direito privado, que regula as relações de direitos decorrentes da propriedade de bens imóveis.

Apesar de ser técnica, essa explicação acaba sendo limitada e não permite uma visão mais ampla da atuação do advogado na área. É um fato que o direito imobiliário decorre diretamente dos chamados “direitos reais”, envolvendo, em grande parte, compra e venda, doação, posse e usucapião.

No entanto, há muito mais envolvido: quando trabalhamos com direito imobiliário, vemos inúmeras questões que envolvem direito das obrigações, direito contratual, direito notarial, responsabilidade civil, direito de família, direito do consumidor, entre outras temáticas.

Ou seja, é importante ter uma visão abrangente sobre o tema, pois isso vai possibilitar que você amplie a sua atuação profissional.

Assim, podemos dizer que o direito imobiliário engloba qualquer tipo de discussão jurídica que envolva imóveis, mesmo que essa relação também seja estudada por outro ramo do direito.

Direito imobiliário e demais áreas

Abaixo, eu separei alguns exemplos que podem esclarecer melhor o conceito citado. Como seria quase impossível fazer uma exposição exaustiva de todas as áreas do direito, vou citar apenas alguns exemplos como referência.

Direito de Família

A maior distinção entre a atuação no direito imobiliário e no direito de família é o elemento subjetivo do cliente. As demandas em direito de família costumam ser mais viscerais para os clientes, exigindo uma disponibilidade maior do advogado, bem como um preparo emocional maior para lidar com as questões de seus clientes.

No direito imobiliário lidamos com questões diretamente patrimoniais que, apesar de demandarem atenção e preparo, não são tão emocionais.

Direito Societário

O direito societário vai focar nos negócios do cliente, nas operações societárias e em sua viabilidade, enquanto o direito imobiliário foca exclusivamente nas operações imobiliárias. Há, no entanto, uma intercessão entre ambos nas incorporações imobiliárias.

Direito do Trabalho

O direito do trabalho atua nas relações de trabalho das pessoas. Ainda que haja também atuação consultiva, grande parte do trabalho do advogado nessa área é contencioso, guiado primordialmente por audiências e provas testemunhais.

Já no direito imobiliário há grande atuação consultiva. Mesmo em casos contenciosos, o foco costuma ser principalmente de análise documental.

Atuação do advogado em direito imobiliário

Operação de compra e venda de imóvel

Como eu comentei, esse é o exemplo mais famoso de atuação do advogado no direito imobiliário.

Nesses casos, o advogado pode agir de diferentes maneiras: é possível atuar em toda a operação, da análise da documentação do imóvel até o registro, ou em pontos específicos, como na promessa de compra e venda, suporte aos compradores ou vendedores, escritura de compra e venda, análise de contratos de financiamento imobiliário, entre outras atividades.

Leia também: Como fazer um ótimo contrato de compra e venda de imóvel

Locação

Locatário e locador podem se beneficiar da assessoria jurídica de um advogado. Aqui, o advogado pode atuar desde a redação do contrato de locação até em eventuais questionamentos de cláusulas, cobrança, despejo e demais relações decorrentes da locação.

Registro de imóveis

Apesar das previsões legais, vemos que, na prática, há inúmeros imóveis com registros irregulares, diminuindo a segurança do comprador. O advogado pode trabalhar para regularizar esses registros junto ao RGI e à Prefeitura, além de ser possível regularizar a titularidade por meio de ação possessória ou adjudicação compulsória.

Incorporações imobiliárias

As incorporações imobiliárias precisam seguir uma série de exigências legais, incluindo a apresentação de um memorial de incorporação, que deve ser feito por um advogado.

Relações condominiais

O advogado pode prestar consultoria a condomínios, redigindo e alterando suas convenções e regulamentos internos. Além disso, também pode prestar assessoria em reuniões de condomínio, além de poder representar condôminos em eventuais problemas.

Regularização de imóveis em inventários e divórcios

Imóveis que são objeto de inventário e imóveis que são partilhados em divórcio também precisam ser regularizados. É possível oferecer também esse serviço no momento da contratação para uma dessas ações, ou mesmo atuar apenas na parte imobiliária.

Leia mais sobre a ação de divórcio litigioso aqui no Portal da Aurum.

Distratos imobiliários

Diversos clientes optam por comprar imóveis na planta. No entanto, muitas vezes o negócio não é o que pretendiam ou situações econômicas posteriores os obrigam a desistir de tais contratos.

Nesses casos, é imprescindível a análise e atuação de um advogado para verificar as previsões contratuais sobre desistência e devolução de valores, bem como analisar se estas são compatíveis com a lei e a jurisprudência. Caso não sejam, é possível atuar em favor do adquirente, buscando uma indenização pelos valores pagos.

O direito imobiliário é uma boa área?

Uma das perguntas mais recorrentes que recebo é se o direito imobiliário é uma boa área de atuação. Eu já falei um pouco sobre as possibilidades de atuação nesse mercado e, agora, vou responder a essa dúvida recorrente de colegas e jovens advogados.

Antes de falar sobre o tema central, preciso ser muito sincero: não acredito no conceito de áreas boas ou ruins para se atuar. Acredito que isso varia muito para cada profissional e o que podemos entender é se o direito imobiliário é uma boa área para você e para o seu perfil.

Para isso, precisamos analisar a combinação de dois fatores:

  1. Estudo constante: Chega a ser clichê falar sobre a necessidade de estudo constante, mas é uma verdade universal. Independente da área ou profissão escolhida, ela só será boa se você for um profissional competente e atualizado.
  2. Amor pelo que se faz: Se você não amar a área escolhida, rapidamente ficará cansado das horas de estudo, da atuação constante, das reuniões e audiências.

Leve esses dois fatores em consideração sempre que pensar em uma área de atuação. Com a combinação de ambos, é perfeitamente possível ser um advogado de sucesso em qualquer área de atuação, independente do tamanho do mercado ou de estar na moda.

Considero que direito imobiliário é uma boa área de atuação, com grandes perspectivas de crescimento de mercado.

Sei que não falei em retorno financeiro. Mas entendo que isso é consequência de um trabalho bem feito, aplicando bem as técnicas jurídicas, de gestão e de marketing jurídico, independente da área escolhida para sua atuação.

Quais são as oportunidades na área?

Mesmo diante da crise econômica que passamos, ainda existem diversas oportunidades – inclusive criadas diretamente pela crise, como o tão falado distrato imobiliário.

Posso falar isso sem qualquer dúvida, já que atuo na área e tenho visto oportunidades diariamente, seja auxiliando pessoas físicas ou jurídicas.

Mas recomendo fortemente que você não decida somente com base na minha opinião ou nas opiniões de terceiros: vá a campo, converse com colegas que atuam na área, entenda o dia a dia, faça um curso de extensão e experimente começar a atuar na área. Só assim você poderá identificar se, de fato, direito imobiliário é uma boa área de atuação para você.

Tome cuidado também para não cair na armadilha de achar que é uma decisão definitiva e impossível de mudar. Sempre é possível mudar de área de atuação, iniciar paralelamente a atuação em novas áreas. Enfim, mudar de rumo de uma forma geral. Experimente e descubra qual é a melhor área para você!

Para inspirar você, indico o texto do colega Thiago Helton sobre carreiras jurídicas.

https://www.aurum.com.br/blog/wp-content/uploads/2021/07/mobile-anuncio.svg
Aproveite!
Faça como mais de 50.000 advogados e diga adeus à burocracia com o Astrea
Quero conhecer grátis

Conclusão

Estes são apenas alguns exemplos da atuação do advogado no Direito Imobiliário. Não há qualquer pretensão em esgotar a lista, e sim, apenas em apresentar possíveis áreas de interesse para advogados que querem começar a atuar na área.

Como você pode ver, são muitas possibilidades para o profissional da advocacia. Por isso, é importante que o advogado mantenha-se sempre atento às novas modalidades contratuais e aos conflitos que inevitavelmente surgem entre as partes.

Mais conhecimento para você

Quer ler mais sobre a área? Aqui no Portal da Aurum você confere:

Já atua ou quer começar a atuar no direito imobiliário? Conte para a gente um pouco da sua experiência nos comentários!

Gostou do artigo e quer evoluir a sua advocacia?

Assine grátis a Aurum News e receba uma dose semanal de conteúdo no seu e-mail! ✌️

Ao se cadastrar você declara que leu e aceitou a política de privacidade e cookies do site.

Mateus Terra
Social Social Social Social

Advogado (OAB 152142/RJ). Bacharel em Direito Universidade Cândido Mendes Centro - Rio de Janeiro. Pós graduado em Direito Imobiliário pela EBRADI. Possuo cursos em Empreendedorismo Jurídico com Rodrigo Padilha; Oratória e Influência do BBI of Chicago; Introdução ao Visual Law...

Ler mais
Tem algo a dizer?

Deixe seu comentário e vamos conversar!

15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  • ALEXSANDRA FORMIGA DUARTE 17/07/2021 às 23:43

    Somente o corretor de imóveis pode atuar na venda ou o advogado também pode ? Estudo direito mas na minha grade não tem direito Imobiliário. Quais os caminhos para quem está começando e gosta dessa área ?

  • María Vitória dos Santos 05/06/2021 às 02:09

    Gostaria muito de aprender mais sobre essa área, estou indo para o oitavo semestre de direito e estou começando a atuar na área da corretagem imobiliária, se tiverem alguma dicas para mim eu agradeço obrigada e boa noite!!

  • Renata 28/05/2021 às 20:45

    Não parece, mas o direito imobiliário aparece bastante no nosso dia a dia. Estou gostando muito de estudar sobre ele. E parabéns pelo conteúdo, bastante completo e esclarecedor.

  • Flávio Gonçalves Fleury 23/09/2020 às 13:11

    Atuei muito pouco na área de Direito Imobiliário e Condominial, quero conhecer mais a área, me especializar, e para poder atuar mais nesta área que perceber ter um crescimento maior que nas áreas tradicionais do Direito.

    • Mateus Terra 20/10/2020 às 18:10

      Tem realmente crescido demais.

Bullets
aurum recomenda

Conteúdos para elevar sua atuação na advocacia

Separamos os principais artigos sobre advocacia e tecnologia para você!

Ícone E-mail

Assine grátis a Aurum News e receba uma dose semanal de conteúdo gratuito no seu e-mail!

Ao se cadastrar você declara que leu e aceitou a política de privacidade e cookies do site.
Mais de 50.000 advogados já disseram adeus à burocracia

Automatize a sua rotina jurídica com o Astrea e invista tempo em crescer seu escritório.

Comece grátis no Astrea