Planejamento estratégico para escritórios de advocacia

3 dicas simples e eficientes no planejamento estratégico para escritórios de advocacia

Comentar
Recomendar
O planejamento estratégico para escritórios de advocacia costuma ser o primeiro “check” do ano na lista de afazeres dos advogados. Afinal, é bem propício aproveitar o ritmo reduzido de trabalho para “organizar a casa” e deixar tudo em ordem para quando a rotina se intensificar novamente. Nós já falamos por aqui que o planejamento é primo-irmão de uma organização sustentável. Seguimos firmes nessa crença!

Então, se é para começar, vamos começar direito! Para ajudar você nessa etapa de organização, preparamos um conteúdo especial que une a leveza necessária para esse período que ainda é de calmaria às informações fundamentais para você fazer o seu planejamento de maneira simplificada e eficiente.

Se você pensa e faz planos de maneira estratégica e sem complicações, este artigo foi escrito para você! Este material também foi pensado para quem não se identifica como expert em planejamento estratégico para escritórios de advocacia mas quer saber como começar 2018 com foco! Sem mais delongas, vamos ao que realmente interessa.

3 passos básicos e muito eficientes para seu planejamento estratégico para escritórios de advocacia

Basta fazer uma busca rápida por “planejamento estratégico para escritórios de advocacia” para encontrar uma série de informações e metodologias que ajudam a traçar e executar planos de curto, médio e longo prazo. O melhor modelo de planejamento é aquele que funciona para você e para o seu escritório.

Por isso mesmo as dicas que você vai conhecer a seguir são ferramentas básicas para usar com qualquer modelo de planejamento. E serve tanto para o profissional independente quanto para quem trabalha em equipe. Ah, e todas elas são usadas e aprovadas pelo pessoal aqui na Aurum. 🙂 Então, vem com a gente saber que dicas são essas!

1. Estabeleça metas mensuráveis

A definição de metas deve ser o ponto de partida de todo planejamento estratégico para escritórios de advocacia. Afinal, para chegar a algum lugar é preciso, primeiro, saber para onde se quer ir, certo?

No artigo “5 comportamentos essenciais em um advogado empreendedor” nós falamos sobre a necessidade de estabelecer metas tangíveis e mensuráveis. Endossamos esse critério mais uma vez (e sempre que tivermos oportunidade). Afinal, é a tangibilidade e o acompanhamento deliberado desses objetivos que vão garantir que eles saiam do papel e se transformem em conquistas reais.

“Mas, time da Aurum, como eu crio metas mensuráveis?” Internamente, nós usamos duas metodologias principais para isso. A primeira é o método de definição e acompanhamento de metas chamado OKR (Objectives and Key Results), sobre o qual falamos neste artigo aqui sobre como funciona a gestão horizontal na empresa.

Resumidamente, as metas construídas com essa metodologia precisam listar o objetivo a ser realizado e a maneira como essa conquista vai ser medida. Cada OKR segue a seguinte estrutura:

Eu vou (Objetivo) medido por (esse conjunto de Key Results).

Exemplo:
– Eu vou conquistar 5 novos clientes até março de 2018 e medir esse número mensalmente por meio do relatório de clientes do meu software jurídico.

Se você não conhece bem a metodologia, nós recomendamos fortemente o vídeo da palestra maravilhosa que o Felipe Castro deu no Aurum Summit 2016. Afinal, ninguém melhor do que o colunista da Endeavor Brasil e consultor de OKR para falar sobre esse assunto com propriedade e exemplos, não é mesmo?


Quer um conselho amigo? Leia primeiro todo o texto para entender o contexto geral e depois assista ao vídeo para se aprofundar mais no assunto. 😉

A segunda metodologia que aplicamos e recomendamos são as metas SMART. O nome pode fazer parecer mais complexo do que na verdade é. Para escrever uma meta SMART basta considerar estes cinco atributos: S (Específico), M (Mensurável), A (Atingível), R (Relevante) e T (Temporal).

Na prática, é basicamente descrever um objetivo específico, que seja possível de ser alcançado, com relevância suficiente para fazer você e sua equipe se “mexer” para alcançá-lo. E, claro, definir um prazo para que essa meta seja concluída.

Então, neste ano, você pode substituir este modelo de meta:

  • Aumentar o número de clientes do escritório.

Por este aqui:

  • Conquistar 5 novos clientes até março de 2018. 😀

Ah, e não esqueça de definir local e periodicidade para monitorar o andamento das suas metas, ok?

2. Atribua responsáveis

Criar metas e não destacar responsáveis é como escrever os objetivos do seu planejamento estratégico para escritórios de advocacia em papéis e jogá-los para o alto, na esperança de alguém pegar e se comprometer com algum deles. Não faça isso!

Aqui na Aurum cada time tem o seu conjunto de metas e cada uma das metas possui um responsável. No time de marketing, por exemplo, todos os integrantes (sem exceção) acompanham pelo menos uma métrica relacionada ao trabalho que desempenha aqui dentro. Já as metas de crescimento são medidas por líderes formais ou informais (você pode entender melhor como funciona isso clicando aqui).

Fazer dessa forma contribui para o senso de responsabilização do time. Assim, os líderes não são os únicos responsáveis pela execução de um bom trabalho: todos têm esse compromisso.
Mas calma lá! Destacar responsáveis para acompanhar as metas não significa concentrar todo o trabalho nessas pessoas. A função de cada objetivo ter um “dono” é ter pessoas específicas para acompanhar a evolução de cada meta. Mas, na hora de trabalhar para alcançar esses resultados, o esforço é de todos.

No entanto, os responsáveis por cada objetivo são as pessoas que sinalizam a evolução ou a estagnação da meta, pedem ajuda e solicitam reforços quando for necessário. Deu para entender? De forma simplificada, é o seguinte: cada meta possui um responsável que acompanha sua evolução e movimenta o restante do time para pensar e executar ações que promovam o alcance desse objetivo. É a partir das metas que planejamos nossas ações semanais. 🙂

No artigo sobre gestão horizontal nós também falamos sobre as cerimônias que adotamos aqui para facilitar o trabalho em equipe e manter o nosso trabalho focado em resultados. Este texto da nossa diretora de marketing e este outro conteúdo do nosso analista de produto falam um pouco sobre como metodologias ágeis podem ser ótimas facilitadoras do planejamento estratégico dos escritórios de advocacia. Vale a pena dar uma olhada!

3. Escolha as ferramentas certas

Por último, mas definitivamente não menos importante, vem a escolha das ferramentas. Afinal, depois de fazer seu planejamento estratégico para escritórios de advocacia, é preciso destacar as ações para torná-lo real.

Algumas ferramentas são fundamentais para a hora de executar o plano estabelecido. Para definir que ferramentas são essenciais para você, é preciso observar cada meta. O que você precisa para, por exemplo, conquistar novas parcerias e adquirir mais clientes? Um melhor uso do tempo? Uma rotina mais automatizada e organizada? Uma gestão de processos que exija menos esforço seu e do seu time?

Sabendo que o seu tempo e o da sua equipe é muito valioso, planejar essa etapa é muito importante para que esse recurso escasso seja usado com foco no objetivo e inteligência.
Usar um software jurídico completo pode ser uma excelente alternativa. Afinal, as melhores opções do mercado reúnem várias ferramentas em um único sistema. Assim, além de facilitar a sua rotina de forma geral, o programa permite que você tenha um tempo de qualidade para se concentrar nos objetivos que definiu no seu planejamento.

Gestão de clientes, acompanhamento de processos, prospecção de clientes, organização da rotina, trabalho em equipe, qualidade no atendimento, gestão de documentos, redação de peças jurídicas, gestão financeira. Todas essas etapas fundamentais do dia a dia do advogado podem ser melhoradas com um sistema. Além disso, programas como o Astrea permitem a emissão de vários relatórios, o que pode ajudar (e muito!) na hora de monitorar suas metas e prestar contas aos clientes. 😉

Agora é só fazer!

Mas como colocar tudo isso em prática? Não se afobe, não. Nós sugerimos, aqui embaixo, alguns conteúdos que vão ajudar você a tirar as ideias da cabeça e partir para a ação. Olha só:


Esperamos que você tenha gostado deste conteúdo! Vamos continuar esse papo nos comentários? Conta pra gente como você faz o planejamento estratégico para escritórios de advocacia. Você tem alguma dica ou história para compartilhar com nossos leitores? Nós vamos adorar saber.
🙂

Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

 

2 Comentários
Você está aqui