Depoimento: Como planejo meu escritório de advocacia

Como faço o planejamento do meu escritório de advocacia

Comentar
Recomendar

Você lembra da Kodak, mãe das câmeras digitais? Apesar da empresa ter criado um império desde 1888, com diversas filiais pelo mundo, em 2012 vivenciou uma crise e apresentou falência. Isso se deu, sobretudo, porque a instituição se prendeu a um antigo modelo de gestão, baseado em longos e rígidos processos internos, que a impediu de inovar e se manter no mercado cada vez mais competitivo. 

Comportamento similar já foi observado na advocacia, que por muito tempo adotou uma sistemática arcaica e engessada. No entanto, atualmente, o que se percebe é um mercado competitivo e com uma enorme oferta de profissionais muito competentes que lutam por um espaço.

Diante deste cenário, para se destacar, não basta apenas dominar os conhecimentos jurídicos. É preciso desenvolver outras habilidades e competências; ter noção da situação atual e objetivos de onde se quer chegar; e ir em busca de inovações para a área. Mas, antes de qualquer coisa, é preciso muito planejamento. 

Pensando nisso, a convite da Aurum, compartilho neste conteúdo como fizemos o planejamento em meu escritório de advocacia. A ideia é que você amplie seu olhar sobre a forma de organizar um negócio jurídico e tenha mais inspiração para colocar em prática o seu planejamento. Boa leitura!

Por que planejo minha advocacia? 

Não adianta lutar contra: o escritório de advocacia é uma empresa

Por mais que aspectos relativos ao empreendedorismo não sejam tratados com destaque nas universidades brasileiras, o mercado tem exigido, cada vez mais, que os advogados passem a investir em planejamento estratégico para progredir na área.

Essa compreensão poderia não ser verdadeira há vinte anos. Até o início dos anos 2000, a competição no setor jurídico era fictícia: advogados de sobrenome mantinham seus feudos de clientes e havia um gentlemen agreement (acordo de cavalheiros) para que a carteira de cada um seguisse intocável. Felizmente isso mudou.

Frase de destaque de Gustavo Martinelli

Com mais de um milhão de advogados cadastrados na OAB, o Brasil é, atualmente, o país que mais forma profissionais do direito no mundo. Isso trouxe um nível de concorrência real para o mercado jurídico, algo similar com o que ocorre com outros setores econômicos. 

Nesse oceano de advogados, não é fácil se destacar, especialmente com a mentalidade do século passado. 

Não basta abrir uma sala comercial e esperar o telefone tocar. Pelo contrário, é necessário ser proativo e identificar oportunidades de crescimento e consolidação de carreira. 

Formar parcerias com outros advogados, produzir conteúdo técnico e social, elaborar artigos científicos, comparecer a congressos ou proferir palestras em eventos acadêmicos são apenas algumas maneiras de começar a aparecer no radar. O mais importante, contudo, é manter um relacionamento próximo do cliente.

Realizar tudo isso e ainda dar conta do estudo de processos, cumprimento de intimações, participações em audiências e ainda sustentar nos Tribunais é quase humanamente impossível. Salvo se houver planejamento.

Como faço o planejamento na advocacia 

Como dito, a advocacia contemporânea demanda uma atuação estratégica em múltiplas frentes. Porém, para poder desenvolver cada área com qualidade e entregar valor para os clientes, é preciso segmentar. 

No meu caso, passei a dividir a rotina de meu escritório em quatro pilares: 

  • Técnica jurídica;
  • Gestão;
  • Marketing; e 
  • Pesquisa e desenvolvimento (P&D). 

Abaixo, compartilho mais detalhes sobre como faço o planejamento de cada uma e os impactos dessa organização em nosso trabalho.

1. Planejamento da técnica jurídica

O primeiro pilar que utilizo para organizar e planejar o meu escritório se refere ao conhecimento técnico jurídico. Aqui, entra o esperado de todo operador do Direito, além da carga teórica e prática do advogado, sendo esse um pressuposto elementar. 

Nesse sentido, devo destacar a importância de qualquer profissional da advocacia se dedicar a uma área ou assunto específico, e nessa especialidade buscar o domínio e excelência. 

Sabemos que criar autoridade e ser reconhecido como tal demanda estudo especializado. Assim, aqui no escritório, dedicamos uma parcela da atenção para pensar e planejar esse desenvolvimento

Ademais, buscamos sempre manter um bom relacionamento de equipe. Deste modo, promovemos uma integração entre os membros baseada, sobretudo, na humildade e na noção de que sempre podemos aprender uns com os outros e assim melhorar. A nova advocacia não tem espaço para a arrogância. 

Por fim, nos empenhamos em executar os trabalhos que nos são designados sempre com muita clareza, concisão e precisão. 

2. Planejamento da gestão do negócio

O segundo pilar é a gestão. Nesse ponto, tratamos da cultura organizacional do escritório e da visão empreendedora e holística do negócio. 

Aqui, é importante conceituar que a cultura organizacional é tudo que envolve a rotina e o funcionamento de uma empresa, servindo de diretriz para o comportamento e a mentalidade de todos os membros. Já a visão holística, é a tendência de reunir elementos em um todo, sendo essencial tanto para os aspectos individuais quanto para o escritório enquanto unidade.

Assim, para planejar os rumos do escritório, buscamos sempre o alinhamento da equipe tanto em relação ao propósito a ser alcançado quanto à performance. Nesse sentido, é imprescindível a transparência, a proatividade, a discrição, a multidisciplinaridade e o diálogo da equipe. 

Como colocamos em prática

Para fazer isso tudo acontecer, utilizamos a matriz SWOT e reuniões de sprint, que são o meio de interação semanal entre a equipe. Por meio delas, alinhamos os compromissos e tarefas que já foram planejados como também os que ainda serão. 

Vale destacar que, cada vez mais, a gestão de escritórios precisa ser mobile e tecnológica. Nós, advogados, precisamos ter a segurança de poder acompanhar o planejado para o escritório. Precisamos ter acesso às tarefas e documentos do escritório enquanto estamos em outros lugares, de modo ininterrupto.

No meu escritório contamos com uma solução que oferece essa possibilidade. É o software jurídico Astrea, desenvolvido especialmente para escritórios de advocacia modernos ou que querem se modernizar. 

Como o sistema está integralmente na nuvem, tenho controle de tudo o que acontece de onde quer que eu esteja, através de meu celular ou qualquer dispositivo com internet. 

Além disso, quando as restrições por conta da pandemia começaram a ser implementadas, já estávamos preparados para o home office, graças ao Astrea. A adaptação foi feita em um piscar de olhos.

Mais: Como a advogada Virgínia está superando a crise com o plano Light do Astrea

3. Planejamento de marketing jurídico

Todo escritório necessita de clientes, então outro pilar essencial no planejamento do meu escritório é o marketing jurídico

Aqui convém salientar que a advocacia possui uma série de limites de publicidade impostas pelo Estatuto da Advocacia, pelo Provimento nº 94/2000 do Conselho Federal da OAB e pelo Código de Ética e Disciplina. 

O marketing jurídico é um dos aspectos em que a inovação se destaca. Afinal, por meio de estratégias inovadoras é possível levar o nome do escritório a mais pessoas, atrair um maior público e fidelizar seus atuais clientes. 

Nesse sentido, destaco as estratégias de:

  • Networking, que preza e busca ampliar o bom relacionamento com outros profissionais, sejam da mesma área, sejam de áreas diversas;
  • Marketing de Conteúdo, que promove  a divulgação de conteúdo de qualidade e especializado e;
  • Answer to the public, ou “responder ao público”, que prevê o atendimento ao público o mais diligente possível. 

4. Planejamento de pesquisa e desenvolvimento

Por fim, mas não menos importante, está o pilar de pesquisa e desenvolvimento. 

Nesse aspecto, entendemos como fundamental que todos os membros estejam sempre atualizados das inovações jurídicas, sociais e de mercado. Assim, valorizamos a academia, de modo que buscamos sempre nos manter informados e produzir e transmitir conteúdo acadêmico de qualidade. 

Dicas de planejamento que gostaria de ter escutado

Uma das principais dicas de planejamento que eu gostaria de ter recebido era a importância de se ter uma Matriz SWOT. Então, vou compartilhar mais detalhes sobre ela e os impactos que pode trazer para o seu planejamento.

O nome “SWOT” provém de uma sigla que contempla quatro palavras: 

  • Strengths (forças); 
  • Weaknesses (fraquezas); 
  • Opportunities (oportunidades); e 
  • Threats (ameaças). 

Assim, é imperioso realizar a matriz para identificar as forças e as fraquezas, as oportunidades e ameaças de todo escritório e equipe. 

As forças e fraquezas são questões internas do escritório, sendo também as mais fáceis de serem controladas, até porque nós sabemos as nossas forças. Mas, precisamos também identificar as fraquezas para saber o que podemos melhorar.

Já as oportunidades e ameaças são matérias externas ao escritório. Pertencem, portanto, ao ambiente de mercado, ao ambiente regulatório e às mudanças de lei. Tudo isso pode comprometer o cenário interno, caso não seja identificado e acompanhado. 

Então é muito importante que isso seja feito pelo menos uma vez a cada seis meses, para que haja um progresso, para ser possível identificar pontos de melhorias e possíveis obstáculos que venham surgir no futuro. 

Aqui no blog da Aurum você confere um conteúdo completo sobre a matriz SWOT. Clique aqui para conferir.

Conclusão 

Não há dúvidas que as inovações exigem dos profissionais da atualidade uma nova postura. 

A advocacia contemporânea, como qualificamos nosso escritório, é voltada justamente a esse novo mindset. Ela exige que o advogado vá além do seu ofício e seja também um gestor e empreendedor. 

Assim, valorizamos a estrutura desenvolvida e prezamos pelo planejamento estratégico, que busca, sobretudo, o melhor para o crescimento da equipe e para o produto que será entregue aos clientes.

Se você tem interesse em se aprofundar nesses temas, pode seguir a leitura por outros conteúdos aqui do blog da Aurum. Indico, inicialmente, os seguintes:

Espero que a partir dos materiais listados acima, você amplie seu olhar sobre o planejamento e consiga estruturar ainda melhor a sua advocacia! Se você ficou com alguma dúvida ou tem pontos a destacar, compartilhe nos comentários abaixo! Vai ser ótimo seguir nossa troca sobre o tema. 🙂 

Finalmente
chegou a hora de crescer sua advocacia!

Com o Astrea você automatiza sua rotina jurídica e ganha tempo para colocar planos em prática

Comece grátis
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

    Nenhum comentário
    Você está aqui