Os 11 principais erros de advogados iniciantes e como evitá-los

Os 11 principais erros de advogados iniciantes e como evitá-los

Comentar
Recomendar

Para o advogado iniciante, abrir o próprio escritório de advocacia ou ser um advogado autônomo é um sonho. Depois de investir tanto tempo e dinheiro em cursos, materiais de estudo e pensamentos positivos, a melhor recompensa seria uma fila de clientes fazendo voltas no corredor do novo escritório, certo?

Mas, se você já deu os primeiros passos para viver da própria advocacia, deve ter percebido que a realidade é bem diferente. O mercado exige do advogado iniciante conhecimentos de administração, marketing jurídico e empreendedorismo que não são ensinados na faculdade. E, diante de tantas dúvidas, o sonho pode acabar sendo substituído por frustração.

Porém, se você chegou até aqui, não deve ser porque está pensando em desistir, não é mesmo? Que bom. Afinal, o nosso objetivo com este artigo é te encorajar a seguir em frente!

Erros de advogados iniciantes: Comece sabendo o que não fazer

Por falta de conhecimento e experiência, muitos advogados iniciantes cometem erros comuns, mas que acabam prejudicando a rotina de trabalho e o desenvolvimento do negócio jurídico. Quer um exemplo simples? Não dominar a língua portuguesa e nem ter um conhecimento mínimo em redação.

Esses problemas, aparentemente sem tanta importância, podem acabar fazendo com que petições sejam rejeitadas por falta de coesão e coerência, além de interferirem na qualidade do seu marketing jurídico na internet.

E como dizem que conhecer os erros é parte da solução, listamos os 11 erros de advogados iniciantes mais cometidos, para que você consiga evitá-los ou corrigi-los. Descubra quais são:

1. Achar que a qualidade do atendimento não é importante

A sua relação com os clientes deve ser cuidadosa desde o início. Tenha em mente que a forma como você conduz o primeiro atendimento pode ser definitiva para a continuidade ou o rompimento do relacionamento. Portanto, a excelência no trato com as pessoas deve ser constante, dentro e fora do escritório. Além de contribuir para uma boa imagem profissional e reputação, o bom atendimento diz muito sobre a qualidade da sua advocacia, ajuda a atrair indicações e a fidelizar clientes.

Aqui no nosso blog, a advogada Mariana Gonçalves já explicou como faz para manter um atendimento ao cliente de excelência, com organização e produtividade.

E se você se interessa por esse assunto, baixe também o nosso ebook “Primeiros passos para o atendimento na advocacia“, com dicas práticas para iniciar um bom relacionamento com os clientes.

Baixar ebook Primeiros passos para o atendimento na advocacia

2. Errar ao comunicar o valor dos seus serviços

Como cobrar honorários é um mistério para muitos advogados iniciantes. Mas, além de descobrir como fazer a cobrança em si, também existe a preocupação de explicar para o cliente o valor dos serviços. O ideal é elaborar o contrato de honorários depois de ouvir o cliente e entender bem o caso.

Na hora de fixar valores, vale usar a tabela da OAB como base e adaptar conforme seu custo fixo mensal, a complexidade da atuação e a hora de trabalho. Informe ao seu cliente o que inclui o serviço e, se for o caso, ressalte que é preciso que ele pague um sinal equivalente a uma porcentagem do valor total para iniciar o trabalho. Parcelar o valor restante é possível e legítimo. Ao entregar o contrato de honorários, peça para que o cliente leia com atenção e se ofereça para esclarecer dúvidas.

Para saber mais sobre o assunto, baixe o guia completo sobre como honorários advocatícios.

Baixar Guia completo de como cobrar honorários advocatícios

3. Perder prazos

Não enviar documentações necessárias nas datas certas pode comprometer gravemente uma ação. Por isso, cumprir prazos processuais é uma obrigação fundamental de profissionais da advocacia. Para evitar que qualquer imprevisto aconteça nesse sentido, é importante ter previsibilidade das suas tarefas (saiba como ter previsibilidade das atividades e não comprometer o prazo processual), registrar tudo que você precisa fazer e usar a agenda jurídica de maneira inteligente.

Além disso, automatizar o processo de busca de andamentos com o auxílio de um software jurídico também é uma solução inteligente para economizar tempo. Com um programa para advogados, você recebe notificações quando seus prazos estão chegando e consegue se organizar melhor para priorizar esses processos. Se você tem dúvidas se essa é a melhor hora para contratar um sistema, confira o nosso artigo sobre o assunto:

4. Esquecer do planejamento

Planejar é prevenir, certo? Por isso, um bom planejamento estratégico para escritórios de advocacia é a melhor maneira de evitar que, na tentativa de fazer tudo ao mesmo tempo, você acabe não conseguindo dar o seu melhor nas tarefas mais importantes. Então planeje bem as conversas que vai ter com clientes, a estratégia para a causa na qual está trabalhando e até as suas idas ao Fórum. Assim, você demonstra profissionalismo e enfrenta cada desafio com confiança.

Além disso, também é preciso investir em um planejamento de investimentos e estabelecer metas para cada setor da sua atuação: marketing jurídico, atendimento ao cliente, tecnologia, infraestrutura, entre outros. Esse exercício te dará uma visão panorâmica da sua carreira e de onde você quer chegar, o que pode te ajudar a tomar decisões mais embasadas e seguras.

Leia também: Advogada conta como curso de Mariana Gonçalves contribuiu para evoluir a gestão de seu escritório

5. Deixar a especialização para depois

Um erro de advogados iniciantes bastante comum é ter receio de segmentar a sua advocacia por medo de perder possíveis clientes. Mas a verdade é que, dependendo da forma como você fizer isso, pode correr o risco de acabar afastando quem procura os seus serviços, por parecer despreparado.

Ser especialista em alguma área do direito te ajuda a se destacar no mercado, dá mais credibilidade para a sua advocacia e contribui para a popularização da sua marca jurídica. Não definir um nicho de atuação foi um dos erros que o advogado Thiago Luna cometeu quando começou a atuar na profissão. Olha só o que ele falou sobre isso:

6. Esperar que clientes caiam do céu

Novos clientes não vão cair de paraquedas no seu escritório e os que te procuraram uma vez podem acabar esquecendo de você com o passar do tempo. Por isso, além de investir na captação de novos clientes, preocupe-se também em encontrar formas de fidelizá-los e mantê-los sempre por perto. Vá além do atendimento focado no presente: busque entender também se existem demandas jurídicas que podem aparecer no futuro do seu cliente e de que forma você solucioná-las agora.

Se você quer saber mais sobre fidelização de clientes, baixe o nosso Guia para Encantar Clientes e descubra como otimizar as rotinas do seu escritório e se dedicar a oferecer um atendimento incrível:

Baixar ebook Primeiros passos para o atendimento na advocacia

7. Ignorar a importância do marketing jurídico

Muitos profissionais têm receio de começar a investir em marketing jurídico por conta das restrições do Código de Ética. Mas a verdade é que o marketing para advogados não precisa ser algo tão difícil nem quebrar nenhuma regulamentação, é claro.

Hoje em dia, a internet facilita bastante a aproximação de clientes e traz inúmeras ferramentas de marketing que podem ser bastante úteis. Aqui no nosso blog, inclusive, você encontra textos sobre marketing jurídico de conteúdo e sites para advogados, por exemplo.

8. Não registrar o seu escritório na OAB

Outro erro de advogados iniciantes comum é não registrar o seu escritório na OAB do seu estado. O advogado Thiago Luna também cometeu esse deslize quando começou a advogar e explicou como é importante ter um CNPJ para mostrar profissionalismo e também para reduzir a carga tributária paga pelo seu negócio. Olha só:

9. Não cultivar boas parcerias

Inteligente é quem pede ajuda na hora certa. Por isso, não cometa o erro de achar que você precisa fazer tudo sozinho.Ter um bom relacionamento com colegas de profissão e contar com o auxílio de mentores em situações desafiadoras é muito importante para o seu desenvolvimento profissional.

Faça parcerias com profissionais de áreas diferentes e troque indicações. Trabalhe com advogados correspondentes, saia da zona de conforto e frequente eventos para advogados. Invista em networking e saiba aproveitar as suas redes de contatos já existentes para desenvolver novos negócios!

10. Montar um escritório físico sem estar preparado

Abrir um escritório de advocacia pode exigir muitos gastos e, às vezes, o profissional em início de carreira não tem tantos clientes para dar conta de arcar com todas essas despesas. Por isso, montar um escritório físico no momento errado pode ser um erro e frustrar o advogado que investiu seu tempo, dinheiro e esforço no negócio.

Para quem quer começar a empreender na advocacia, o advogado Thiago Luna recomendou opções atuar como advogado home office ou até o coworking na advocacia. Dessa maneira, o profissional iniciante pode estruturar seu escritório antes de bancar altos gastos com infraestrutura. Confira mais dicas do Thiago sobre isso no vídeo abaixo:

11. Descuidar da apresentação profissional

Por último, listamos um erro de advogado iniciante que pode parecer pequeno, mas impacta fortemente na imagem profissional: o descuido com a sua apresentação pessoal. Para um advogado que quer causar boa impressão a possíveis clientes e colegas, é essencial saber se vestir de forma adequada e se comportar de maneira compatível com os diferentes ambientes. Aqui no nosso blog, por exemplo, nós já fizemos um artigo só sobre linguagem corporal e como ela pode afetar a forma como você é visto por outras pessoas.

Além de cuidar da própria aparência, é preciso zelar pela imagem da sua marca jurídica: mantenha a organização do seu escritório de advocacia, aposte em um bom site para advogados e construa um marketing pessoal coerente com quem você é. Tudo isso contribui para o fortalecimento da sua imagem profissional.

Conclusão

Depois de tantos anos de estudo, o advogado iniciante quer logo partir para a prática jurídica, certo? Mas tenha calma e planeje-se para não começar a sua carreira passando uma imagem pouco profissional. Além disso, estude as suas opções com calma e avalie sempre o valor das suas decisões no seu futuro. Por fim, continue acompanhando o blog da Aurum e confira nossos outros conteúdos para advogados em início de carreira.

Finalmente
chegou a hora de crescer sua advocacia!

Com o Astrea você automatiza sua rotina jurídica e ganha tempo para colocar planos em prática

Comece grátis
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

  • João Antonio de Araujo disse:

    A modernidade através da implantação de softwares apareceu em todas as áreas profissionais e também no direito, por isso achei importante estas dicas para iniciar os trabalhos em advocacia

  • Carlos Seabra Júnior disse:

    A carência dos profissionais de Direito, está ligada à ausência das lições de Deontologia Jurídica e Ética Jurídica, matérias essas muito pouco aplicadas nas universidades brasileiras.

  • Luis Silveira disse:

    A minha pergunta e quando um escritório de advocacia esquece e coloca o mesmo processo duas vez só que em cidade diferente ai como fica

12 Comentários
1 2
Você está aqui