Dress code para advogados iniciantes: como se vestir para uma audiência

Comentar
Recomendar
A preocupação com a imagem na advocacia é quase tão antiga quanto a própria profissão. Você já reparou em como os personagens de filmes e seriados com temática jurídica se vestem em uma audiência, por exemplo? Os homens caminham seguros em ternos de tecidos nobres e caríssimos. O caimento é impecável e a harmonia entre terno, gravata e sapato é perfeita. Sem falar naquelas abotoaduras dignas de close.

Já as mulheres surgem determinadas em roupas super alinhadas, cabelos com um aspecto incrível de quem acabou de sair do salão de beleza, acessórios nada baratos e sapatos com saltos enormes. Elas aparecem normalmente vestindo saias lápis, camisas elegantes e blazers levemente acinturados.

Mas será que, nesse caso, a vida imita a arte?

Sem maquiadores, cabeleireiros, estilistas e um consultor de estilo particular, na vida real o enredo é outro. E a rotina é feita de cenas reais, que não permitem cortes. Principalmente para advogados e advogadas em início de carreira, a escolha do que vestir pode gerar muitas dúvidas. Que roupa escolher para ir a uma audiência? Qual o melhor tecido? É obrigatório usar terno e gravata? Pode usar sandália? E tatuagem, pode ter? O judiciário realmente se recusa a receber operadores de direito que não estejam de acordo com um determinado padrão de vestimenta? Quem regula isso?

Para descobrir as respostas para essas e outras perguntas sobre vestimenta e apresentação pessoal na advocacia, conversamos com a advogada Alessandra Strazzi e o advogado Fernando Cascaes, da coluna Papo Jurídico, sobre como funciona o código de vestimenta da profissão na vida real. E se nós falássemos que as maiores exigências vêm dos clientes e da “reputação” construída em torno da profissão, e não de uma regulamentação do judiciário, você acredita? Pois é isso mesmo. Mas chega de spoiler. Para conferir o bate-papo completo, é só dar o play no vídeo!

Tá começando na advocacia? Aproveite para conhecer nosso ebook, feito especialmente para você, com os primeiros passos na relação com o cliente. É gratuito! 😉
baixar o ebook primeiros passos para o atendimento na advocacia

Com base nas respostas dos advogados convidados, preparamos algumas dicas práticas para ajudar você a acertar em cheio na sua apresentação visual e ter ainda mais segurança na escolha do que vestir para ir a uma audiência, reunião e outros eventos profissionais.

Quais os benefícios que uma boa apresentação pode proporcionar aos advogados?

Segundo a advogada Alessandra Strazzi, uma boa aparência pode demonstrar seriedade com o trabalho e ajudar na conquista de novos clientes. “Principalmente no começo da carreira, captar clientes já é difícil, então não coloque mais uma barreira, que seria se vestir de qualquer jeito e esperar que as pessoas aceitem isso”, diz.

Já o advogado Fernando Cascaes acredita que uma boa impressão é o cartão de visita do advogado. “É claro que muito, uns 99%, vai depender da sua capacidade técnica, mas a porta de visitas é sempre a imagem”, defende.

Como as advogadas devem se vestir?

O código de vestimenta na advocacia não é tão rígido quanto a fama tradicional da profissão faz parecer. Pelo menos é o que diz a experiência da advogada Alessandra. Apesar de preferir se apresentar de forma mais discreta e sóbria e ser adepta da combinação calça jeans e sapatilha, ela já atuou em um fórum em que uma das juízas se vestia com cores fortes e marcantes, sem qualquer prejuízo à qualidade do trabalho realizado.

No entanto, o conselho que ela dá para as advogadas em início de carreira é procurar cores neutras e saias pouco acima da linha dos joelhos. Ah, e ter sempre um blazer disponível no escritório para compromissos ou atendimentos de última hora. A peça coringa é uma excelente opção para quebrar um pouco a informalidade de uma roupa mais descontraída.

E qual tecido escolher?

“Eu prefiro os tecidos naturais porque costumam ser mais confortáveis, durar mais e ter uma aparência melhor. Os tecidos sintéticos são muito quentes e, às vezes, não têm uma aparência tão boa”, explica.

Qual a melhor opção para os dias de calor?

Alessandra acredita que as advogadas não enfrentam tanto problema com opções de vestuário para os períodos de calor. “Você pode pôr um vestidinho daqueles tubinho e um coque”, exemplifica. Ela, inclusive, já viu procuradoras ou juízas de sandália e não percebeu qualquer problema na escolha.

E a maquiagem, como deve ser?

Aqui vale a preferência pessoal. Nem sempre a correria do dia a dia permite uma maquiagem elaborada e nem toda advogada se sente à vontade usando várias camadas de base, pó e corretivo.
“Eu gosto de usar maquiagem por dois motivo. O primeiro é que eu fico mais autoconfiante – e autoconfiança é uma característica que toda advogada de sucesso tem que ter. E o segundo é pela questão da aparência”, diz. Ela acredita que parecer mais “arrumada” e “acordada” contribui para a boa imagem. Para ela uma atenção à sobrancelha, lápis de olho, um pouco de blush, batom, máscara de cílios e corretivo para levantar o olhar é o suficiente.

Como os advogados devem se vestir?

A dica do Fernando Cascaes para os advogados iniciantes é apostar na forma tradicional que, além de ser a escolha mais difícil de errar, é também sua preferência pessoal. Para ele, terno escuro (preto, cinza escuro e azul marinho) com uma camisa sóbria de cor mais clara e a gravata se destacando entre o paletó e a camisa é a combinação ideal. “Uma coisa que eu acho bem importante para o advogado é estar sempre bem alinhado, com o sapato engraxado – isso muitos clientes reparam –, um nó de gravata bem feito, a camisa bem passada”, acrescenta. Ele acredita que a preocupação com a apresentação é importante.

Sobre os tecidos, ele aposta em camisa de algodão, até para regiões mais quentes, pois facilita a transpiração. Para o terno, o conselho dele é escolher a lã fria. “O caimento fica melhor e o tecido é mais confortável”, recomenda.

E barba comprida, pode?

Adepto da barba há quatro anos, Fernando defende que não existe nenhum problema de ter uma barba bem cuidada e aparada. “Eu tenho colegas que têm até barbas grandes, não há problema nenhum. Eu acho que essa questão de prezar por um rosto ‘limpo’, sem barba, não influencia mais a questão da advocacia. Isso está superado”, conclui.

Onde encontrar a advogada Alessandra Strazzi

Onde encontrar o advogado Fernando Cascaes


Agora é a sua vez! Queremos saber a sua opinião. Como você costuma se vestir para uma audiência? Prefere uma apresentação mais clássica e formal ou costuma fazer escolhas mais descontraídas e modernas? Já sofreu algum preconceito pela forma de se vestir? Tem alguma dica para quem está começando? Participe do assunto comentando aqui embaixo! 😉

Ah, e tem mais uma dica: agora que você já está por dentro das melhores dicas de como se vestir e portar como advogado – principalmente para quem está começando a carreira – preparamos um ebook especial para você com os primeiros passos na relação com o cliente. É gratuito! 😉
baixar o ebook primeiros passos para o atendimento na advocacia

Organize sua advocacia sem ferir o orçamento

Crie sua conta até  31/07/2020  e garanta 1 ano grátis no plano Light do Astrea

Saiba mais
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

  • Paullo Henrique disse:

    Foi nota 10 o bate papo de vocês aprendi muito, mas me sobrou uma dúvida pode um advogado com cabelo comprido ou mesmo um coque samurai que é um corte que está em alta no momento?

    • Lila Alves disse:

      Oi, Paullo!
      Que bom que você curtiu o bate-papo! Pelo o que os convidados falaram no vídeo, acredito que não haja problema algum manter o cabelo e a barda compridos, desde que bem cuidados. Um coque samurai combinado com um terno alinhado pode ser uma combinação bacana. Que acha? 🙂
      Um abraço!

  • Laer Oliveira disse:

    Meu pensamento é de que devemos nos vestir de acordo com aquilo que acreditamos ser correto,dentro da nossa profissão, porém não devemos deixar que juízes,desembargadores venham nos ridicularizar em público como aconteceu recentemente com uma advogada. Com base nas leis temos argumentos para nos defendermos. Não devemos baixar a cabeça e dizer amém. Mas também devemos ter bom senso, e saber que o traje de uma audiência não é o mesmo de uma balada.

  • Lucas disse:

    Oii, amei o blog, mas perguntando, eu sempre quis ter cabelo grande e barba , a barba eu já tenho e o cabelo em processo de crescimento , eu fiz o vestibular e ganhei uma bolsa muito boa em uma faculdade de direito, estou pensando em ir, mas caso me julguem pela aparência seria um pouco chato, ainda existe o preconceito com o cabelo e a barba grande ????

5 Comentários
Você está aqui