gestão de departamento jurídico

Como otimizar a gestão estratégica de um departamento jurídico

Comentar
Recomendar

A gestão de departamento jurídico é fundamental para garantir ótimos resultados dentro de uma empresa. Responsável por orientar sobre as melhores práticas do mercado, o departamento jurídico é um dos setores mais importantes quando falamos da parte estratégica e preventiva do negócio.

O objetivo principal da área jurídica de uma empresa é reduzir danos e perdas de dinheiro com processos perdidos. E para isso acontecer, é preciso diminuir o número de processos que a empresa leva. Por isso que o departamento jurídico é tão importante. 

Neste contexto, para fazer uma gestão eficiente e que gere valor à empresa, o executivo jurídico precisa se atentar a alguns pontos importantes que podem ser conferidos neste artigo.

Para facilitar a leitura, você pode navegar clicando nos tópicos abaixo:

Como funciona a gestão de um departamento jurídico?

O departamento jurídico vem conquistando um papel cada vez mais relevante nas estratégias das empresas e na entrega de resultados. Esse departamento que, historicamente, sempre foi visto como uma área isolada e acionada apenas em situações judiciais, hoje possui uma característica mais generalista e integrada com as demais áreas da empresa. 

No meio corporativo, estar em situações em que deve-se arriscar para obter algum resultado faz parte do dia a dia. Por isso, o departamento jurídico exerce um papel fundamental, pois é o principal responsável por mitigar estes riscos, analisar os cenários econômicos e de mercado, para então definir, junto com a alta gestão, quais dos riscos a empresa está disposta a correr para atingir os seus resultados. 

Assim, os executivos jurídicos precisam trazer respostas rápidas, objetivas e muito bem fundamentadas em fatos e dados. Esses dados deverão estar disponíveis e ser claramente demonstrados por meio de suas principais ferramentas de gestão, por isso a importância de mantê-los sempre atualizados. 

Desafios da gestão de departamento jurídico

Para que a gestão de departamento jurídico seja estratégica e otimizada dentro de uma empresa, é preciso superar os desafios que podem surgir pelo caminho. Por isso, separamos soluções para uma gestão completa e eficiente.

Planejamento e análise de riscos

Um dos fatores que mais contribuem para o sucesso do departamento jurídico dentro das organizações é a sua compreensão e análise prévia dos impactos econômicos e financeiros das decisões judiciais.

Por isso, o primeiro passo para garantir um gerenciamento eficiente é identificar os riscos que cercam a empresa.  É importante procurar saber em qual ponta da operação eles estão surgindo e se são trabalhistas, tributários, contratuais ou comerciais, por exemplo, para facilitar no controle e na priorização das atividades.

Na prática, após essa análise inicial, é necessário um planejamento financeiro que engloba todos os temas legais mapeados. Logo, é preciso monitorar desde o orçamento do departamento e as despesas internas e externas, até o passivo, o contingenciamento legal e seus respectivos impactos nos resultados. 

Todo esse controle auxilia tanto na geração de relatórios para a alta gestão, evitando assim gastos inesperados, quanto para o planejamento futuro. Isso porque permite que o gestor jurídico elabore um plano de ação condizente com o real cenário da empresa. 

Feito o provisionamento das contingências de maneira correta e eficiente, é possível, em alguns casos, até liberar recursos, facilitando o fluxo de caixa e gerando um grande valor para a organização, principalmente em épocas de crise, onde esse fator pode ser crucial.

Indicadores de desempenho

Ter em mãos os corretos indicadores de desempenho é outro aspecto extremamente relevante para o departamento, pois os indicadores fornecem dados estruturados e fundamentais para apoiar no processo de tomada de decisões.

Um princípio básico do meio corporativo é que aquilo que não é medido não pode ser gerenciado, muito menos melhorado. Tendo esse contexto em mente, os departamentos que assumem essa característica estratégica dentro das suas organizações, e não apenas o papel de “apagar o incêndio”, precisam tornar o acompanhamento de indicadores parte de sua rotina. 

No entanto, mais do que ter ferramentas que possibilitem essa análise, é preciso primeiro ter em mente o que deve ser analisado.  

Por isso os indicadores, também conhecidos como KPIs (Key Perfomance Indicators, ou Indicador-chave de desempenho), devem possibilitar ao gestor um valor quantitativo que possibilita medir o que está sendo executado e gerenciar de forma adequada, a fim de atingir as metas planejadas. Deve-se medir algo útil, relevante e que auxilie na tomada de decisões.

Portanto, é importante que o departamento jurídico primeiro defina metas que estejam alinhadas com os objetivos estabelecidos pela diretoria e a realidade da sua organização. E apesar de não existir uma “receita de bolo” para ser seguida, existem alguns indicadores primários que costumam dar um norte a respeito do cenário da sua empresa. São eles:

  • Número de processos por período e por área do direito;
  • Histórico de resultado  de processos;
  • Histórico de valores perdidos e ganhos nos processos;
  • Monitoramento de verbas / pedidos nos processos;
  • Provisionamento para perdas futuras, considerando a probabilidade.

Outro fator para ter em mente é que tais indicadores são mutáveis. Logo, é importante que os gestores jurídicos revisem e analisem periodicamente para que estejam sempre alinhados com as demandas da empresa. 

Dicas para uma boa gestão de departamento jurídico

Como o departamento jurídico está à frente tanto de casos externos quanto internos que envolvam a empresa, é muito importante se aproximar de outros departamentos. Através dessa aproximação, é possível orientar os profissionais, construir contratos detalhados e propostas comerciais, além de estar junto com as lideranças para avaliar a saúde do negócio em todos os seus aspectos.

É importante também pensar nas pessoas que compõem o departamento jurídico. Para que elas estejam sempre motivadas e engajadas nos desafios do setor, é fundamental que exista um plano de carreira com possibilidade de crescimento e visibilidade dentro da empresa. Afinal, o trabalho não vai ser feito sozinho. 

Essas dicas em conjunto com o planejamento estratégico e os indicadores de desempenho são a chave para otimizar a gestão do departamento jurídico e garantir os melhores resultados.

Como um software otimiza a gestão de departamento jurídico

A efetividade e o impacto das informações que o jurídico reporta para a diretoria estão diretamente ligadas à qualidade dos dados coletados na sua ferramenta de gestão.  

Por isso, um dos principais fatores que dificultam a gestão estratégica de departamento jurídico é a descentralização das informações. Com o enorme fluxo de informações que o jurídico precisa lidar, vinda das mais diversas áreas da empresa, é impensável ter um controle preciso se as informações ficam divididas entre e-mails, documentos impressos, arquivos em nuvem, entre outros.

Além do risco de perda de informações relevantes, essa descentralização gasta muito tempo da equipe e ainda impede que o gestor jurídico mensure as entregas do seu departamento. Dessa forma, demonstrar o valor gerado pela equipe à alta gestão se torna quase impossível.

Além disso, pode ainda fazer com que muitas vezes o departamento seja visto como mais um centro de custo da empresa, e não na posição estratégica que exerce.

Portanto, é imprescindível que os executivos jurídicos utilizem a tecnologia como uma espécie de força de trabalho. 

Softwares para departamentos jurídicos, como o Themis, foram desenvolvidos para centralizar as principais demandas dos departamentos e otimizar o tempo de busca por informações, emitindo os mais diversos relatórios em pouco cliques. 

Conclusão

Nos dias atuais, o departamento jurídico deixou de tratar questões estritamente jurídicas, sendo um departamento vital para a saúde do negócio e com profissionais analíticos e capacitados.

Mas otimizar a gestão do departamento jurídico e torná-la mais eficiente não é fácil. É preciso conhecer profundamente o negócio, destinar um tempo para o planejamento estratégico e criar indicadores de desempenho que façam sentido. 

Além disso, investir em tecnologias que forneçam apoio na gestão do fluxo de trabalho, automatizando as demandas jurídicas e garantindo mais produtividade, são essenciais para uma atuação mais estratégica.

Se você quer saber mais sobre o assunto, indicamos os seguintes conteúdos:

Tenha um departamento jurídico muito mais estratégico com o Themis

Gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Compartilhe com a gente nos comentários! 🙂

Estabeleça
uma rotina organizada e produtiva de verdade!

O melhor software jurídico do mercado, agora gratuito.

Conheça o plano Light
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

    Nenhum comentário
    Você está aqui