Conheça os principais ramos da advocacia

De olho no futuro: Os 7 ramos da advocacia mais promissores

Comentar
Recomendar
Assim como mudam as prioridades da economia, os ramos da advocacia também sofrem influência dos grandes acontecimentos legislativos e políticos do País. A reforma trabalhista, o debate sobre a reforma previdenciária, o aumento de crimes virtuais, a Lei 13.429/2017, que modificou as condições da terceirização pelas empresas. Todas essas novidades impulsionam a busca por determinados serviços da advocacia.

As mudanças vão continuar acontecendo e é preciso que os escritórios fiquem atentos a elas para se destacar da concorrência! Então, se você está buscando alguma área para se especializar ou quer trabalhar melhor o seu posicionamento no mercado, vem conhecer os 7 ramos da advocacia mais promissores em 2018! Muito provavelmente essas áreas vão se manter em alta pelos próximos anos. Afinal, muitas mudanças ainda estão sendo aplicadas e assimiladas.

Saiba quais são os ramos da advocacia mais promissores

7. Direito Digital

Dentro do Direito Digital existem vários setores. Por isso, alguns profissionais acreditam que o termo é um grande guarda-chuva para ramos da advocacia que tratam de questões legais relacionadas ao universo virtual e à tecnologia. Inclusive, atualmente algumas pessoas usam a expressão Direito da Tecnologia da Informação para nomear esse nicho de atuação.

Independente do termo, esse ramo da advocacia vem crescendo anualmente. O aumento se dá à inserção ostensiva da tecnologia no cotidiano das pessoas e a todos os problemas que a necessidade de regulamentação de uma área, que ainda leva ao Judiciário demandas e conflitos antes desconhecidos, pode causar.

Como falou Patrícia Peck, advogada referência em Direito Digital, em uma entrevista para o nosso blog, o profissional de Direito Digital precisa de conhecimentos jurídicos e técnicos. É essa profundidade de conhecimento que vai servir de diferencial na carreira do advogado que optar seguir este ramo.

Se você quer saber mais sobre como se especializar nessa área e entender as particularidades do Direito Digital, recomendamos fortemente a leitura das entrevistas que fizemos com a Patrícia Peck e com a Flavia Penido, advogada especialista em Direito Digital voltado ao Marketing Digital. Temos certeza que você vai gostar! 😉

6. Atuação generalista

Apesar da instabilidade econômica do Brasil, a aposta é que escritórios full service encontrem um cenário estável para continuar se desenvolvendo em 2018. É claro que, naturalmente, alguns ramos da advocacia acabam crescendo mais do que outros no escritório, conforme o momento atual do país. E é a diversidade de atuação, desde que bem estruturada, que garante que o escritório mantenha sua saúde financeira e conquiste mais clientes ao longo do ano.

Outro ponto que motiva a atuação de escritórios generalistas é que as empresas continuam investindo em parcerias e contratações de escritórios multidisciplinares. A área de departamento jurídico busca interagir advogados especialistas e generalistas para alcançar as melhores soluções. Assim, enquanto os especialistas atuam nos problemas de seu nicho de atuação, os generalistas avaliam o contexto geral.

5. Contencioso Civil

Os escritórios e advogados que atuam nesse ramo da advocacia, normalmente, lidam com um grande volume de processos e resolvem questões da esfera judicial ou arbitral.

O impulso dessa área acompanha a conjuntura atual do país. A movimentação da economia tem aumentado os conflitos e cobranças, o que resulta num número maior de processos judiciais na esfera cível.

4. Compliance

Estar em “compliance” é estar em conformidade com leis e regulamentos, tanto os internos quanto os externos. Sendo assim, advogados e escritórios que trabalham nessa área buscam manter as empresas de seus clientes em conformidade com as normas dos órgãos reguladores, de acordo com as atividades desenvolvidas por elas.

Normalmente, os escritórios que atuam com especialistas em compliance buscam prevenir questões jurídicas nas empresas clientes para não precisar lutar no tribunal. Portanto, o profissional de compliance deve entender com profundidade as normas e legislações da área de seus clientes.

A área de compliance é relativamente nova entre os ramos da advocacia e requer experiência com auditoria, além de uma certa vivência nas áreas cível, administrativa e contratual. O “boom” do ramo veio em 2005, quando surgiram os primeiros inquéritos da Operação Lava-Jato. Desde então a procura pelo setor continua crescente. Uma das novidades, é a realação entre compliance e a LGPD, que já falamos aqui no blog.

3. Arbitragem

Retomar os processos de arbitragem foi a forma que os advogados encontraram para lidar com a morosidade da justiça Brasileira. Atualmente, os processos de arbitragem estão batendo recordes no país. Isso porque representam uma forma rápida e confiável de resolver conflitos extrajudicialmente. Afinal, quem não gostaria de garantir o direito do seu cliente com o mínimo de burocracia possível, não é mesmo?

Contar com advogados de arbitragem na sua banca é uma excelente pedida para os próximos anos. Como os árbitros são escolhidos pelos próprios litigantes, a solução costuma agradar bastante empresas por ser uma maneira precisa. É um excelente ramo para advogados experientes em contencioso cível e direito empresarial.

O advogado Fernando Cascaes, nosso parceiro de conteúdo, publicou um artigo aqui no blog explicando como funciona a arbitragem no Direito Societário e Empresarial. Vale a pena dar uma olhada. 😉

2. Direito Trabalhista

A recente reforma trabalhista tem movimentado bastante essa área, que já é velha conhecida dos ramos da advocacia. A novidade é que a alteração legislativa recente do setor tem gerado bastante dúvidas nas empresas. Por isso, o cenário está bastante favorável para advogados e escritórios que atuam com serviços consultivos.

Na prática, as ações da advocacia consultiva do ramo trabalhista tem sido bastante focadas em consultas de rotina que causam algum impacto para a operação da empresa cliente. Portanto, é uma ótima fase para estabelecer contratos de médio prazo e se colocar à disposição do cliente nesse momento de adaptação.

1. Direito Eleitoral

Em ano de eleições, a procura por advogados eleitorais e escritórios que atuam nessa área aumenta consideravelmente. Afinal, são profissionais desse ramo da advocacia que preparam e acompanham candidatos durante a campanha para garantir que todas as propostas e atitudes estejam de acordo com a lei.

Mas se engana quem imagina que o trabalho termina após as eleições. É também função do advogado eleitoral defender seu cliente em processos eleitorais e eventuais pedidos de cassação após a posse. Definitivamente, entre os ramos da advocacia, esse é o que exige maior atenção do cenário político do país.

Os próximos anos também parecem promissores para esse setor. Os últimos acontecimentos políticos tornaram a demanda do Direito Eleitoral recorrente. Leis como Ficha Limpa fazem com que partidos, políticos eleitos e candidatos busquem auxílio jurídico especializado.

Conclusão

Destacamos os ramos da advocacia mais promissores para os próximos anos. Para isso, nos baseamos em notícias divulgadas nos portais de notícias online Exame e G1 e nas avaliações publicadas nos sites das OABs.

Se você está em busca de especialização ou atualização profissional, pode gostar de ler estes conteúdos complementares que separamos para você:


Agora é a sua vez! Você concorda com essa lista de ramos da advocacia mais promissoras? Deixe sua opinião nos comentários! E se você gosta dos nosso conteúdos, não quer perder as novidades do blog e quer ficar por dentro de informações exclusivas, assine a nossa newsletter!
😉
Assine a Aurum News e fique por dentro das novidades

22.000 Advogados

Já controlam seus processos e prazos com o software jurídico Astrea

Experimente grátis
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

 

    Nenhum comentário
    Você está aqui