Futuro da advocacia: o que esperar?

O que esperar do futuro da advocacia?

Comentar
Recomendar
Inteligência Artificial, Advocacia 4.0 e Blockchain. Essas palavras rondam o imaginário do advogado moderno e aparecem em muitas previsões sobre o futuro da advocacia. Os robôs vão roubar os empregos dos juristas? A justiça do futuro vai ser totalmente virtual? As especulações são muitas e de tanto tentar enxergar anos à frente, acabamos não percebendo que o futuro da advocacia, na verdade, é agora!

Pensa com a gente: nos últimos anos vimos o avanço tecnológico e a chegada de jovens advogados ao mercado acelerar bastante a modernização do setor. Processos e peticionamentos eletrônicos, intimações enviadas por Whatsapp e o surgimento de vários softwares e aplicativos são acontecimentos recentes que impactam o presente e dá rumo para o futuro da profissão. Mas a evolução não para (e nem vai parar) por aí! Ainda vamos ter muitos conteúdos por aqui abordando as novidades da advocacia e do Direito. 😉

Para trazer consciência para as mudanças que já começaram e que prometem abalar (positivamente!) as estruturas da advocacia nos próximos anos, vamos compartilhar algumas situações que comprovam que estamos vivendo o futuro da advocacia. Para saber quais são, é só continuar a leitura!

Como se preparar para o futuro da advocacia em 4 passos

1. Tenha mais mobilidade na rotina

Quando você imaginou que poderia estar em dois ou mais lugares ao mesmo tempo? Ainda não estamos falando de realidade paralela. Mas não podemos deixar de destacar a importância da tecnologia móvel para o profissional que quer acompanhar o futuro da advocacia.

Sistemas para advogados que funcionam em qualquer dispositivo com internet e ainda contam com aplicativos complementares para celular – como o Astrea Mobile –, processo eletrônico, aplicativos de Vade Mecum, peticionamento eletrônico, serviços de mensagem instantânea e vídeo-chamada.

Tudo isso facilita a vida do advogado multitarefa que precisa resolver atividades do escritório no aeroporto, nos momentos de espera do fórum, em casa e até em outra cidade ou país.

Essas facilidades permitem ao operador do Direito uma rotina mais flexível e menos burocrática. A boa notícia é que elas devem evoluir ano após ano, trazendo ainda mais benefícios ao advogado moderno.

Aliás, você sabia que existem advogados nômades digitais? Esse assunto foi tema de um artigo que fizemos sobre o advogado home office e também de um bate-papo que tivemos com uma advogada nômade digital sobre sua rotina.

O trabalho à distância por si só já é um grande passo para o futuro de advocacia, principalmente em escritórios mais conservadores que começaram a ver nessa possibilidade uma maneira de aumentar a produtividade sem perder o controle da equipe e das atividades.

Se você quer entender melhor como um software jurídico permite que advogados trabalhem à distância, é só clicar neste link. 😉

2. Adote conceitos e práticas de outras áreas

A advocacia já não é uma profissão isolada. Quanto mais pensamos no futuro da profissão, mais percebemos que agregar conhecimentos e práticas de áreas complementares só faz evoluir o negócio jurídico e a maturidade profissional dos advogados.

É por isso que trazemos para os nossos conteúdos o que aprendemos com os métodos usados no Vale do Silício e que dão certo aqui na Aurum. Esse tipo de comportamento fortalece o ecossistema empreendedor e eleva a qualidade do serviço, além de melhorar o posicionamento no mercado. 🙂

Se você acompanha o nosso blog, já deve ter conhecido métodos e conceitos que não nasceram dentro da advocacia, mas que podem (e devem!) ser incorporados na rotina jurídica para impulsionar os resultados e facilitar o crescimento do negócio.

É o caso da gestão horizontal, do marketing pessoal e de vários outros temas que compartilhamos semanalmente com você por aqui.

Para contribuir ainda mais para a adocação de boas práticas, lançamos o portal O Futuro da Advocacia.

Nele, você tem acesso a trilhas completas de conteúdos gratuitos e aprofundados sobre temas que vão, de fato, contribuir para que o seu trabalho tenha cada vez mais excelência e para que você conquiste mais e melhores clientes. 😉

Quero conhecer o portal o futuro da advocacia

3. Faça parte da democratização do conhecimento

Você já reparou como hoje em dia é muito mais fácil encontrar e produzir conteúdos úteis e relevantes para advogados? A democratização do conhecimento chegou para todas as áreas graças à internet. E quando se trata do futuro da advocacia, é um comportamento que tende a se fortalecer cada vez mais.

Afinal, existe um entendimento maior de que todos nós podemos ser professores e aprendizes. E atualmente é possível exercitar isso em diferentes formatos.

Existem pessoas, como a advogada Mariana Gonçalves, que contribuem para a democratização do conhecimento e também para a cultura do compartilhamento publicando vídeos semanais para advogados.

Há profissionais que preferem dividir seus conhecimentos com clientes, parceiros e outros advogados por meio de podcast sobre direito e advocacia, artigos ou conteúdos exclusivos para redes sociais.

O formato pode variar, mas o efeito costuma ser o mesmo. Compartilhando conhecimento, os advogados estão contribuindo para o futuro da advocacia, para a educação do mercado, para a formação de profissionais mais qualificados e, claro, para a aquisição de novos clientes. E tudo isso estimula a democratização do conhecimento. 😉

4. Fomente a cultura do compartilhamento

Para muitos profissionais, a advocacia ainda é vista como um ambiente de rivalidade e alta competitividade. É verdade que saber como conseguir clientes na advocacia e ir atrás de um melhor posicionamento no mercado são premissas que não devem ser abandonadas.

Mas para quem observa as mudanças que estão acontecendo rumo ao futuro da advocacia, a competitividade está mais relacionada com executar um bom trabalho, desenvolver um bom planejamento estratégico e aperfeiçoar as ações de marketing jurídico do que com tratar o escritório ou advogado concorrente como inimigo.

Essa quebra de paradigma tem contribuído para a criação de comunidades, redes de apoio e networking entre advogados. Em um ambiente onde todos saem ganhando, os negócios jurídicos tendem a ter mais sucesso.

Reuniões, encontros e eventos para conversar sobre o presente e o futuro da advocacia não param de acontecer. Já existe, inclusive, hackathon jurídico para quem quer imergir nesse novo momento da área.

Nós já participamos e promovemos vários encontros feitos por e para advogados, e sempre que acontece alguma coisa do tipo, colocamos em primeira mão lá no @aurum.br do Instagram. Se você ainda não segue a gente por lá, está na hora de seguir para ficar de olho nas mudanças que preparam os profissionais e o mercado para o futuro da advocacia! 😉

O próprio Aurum Summit, nosso evento anual de imersão no futuro da advocacia, é uma ótima oportunidade para quem quer vivenciar a cultura de compartilhamento e fortalecer o network!

Saiba mais sobre o Aurum Summit

Conclusão

É claro que essas mudanças que observamos não foram as únicas que estão acontecendo ou vão acontecer no futuro da advocacia. No entanto, apesar de parecerem situações até corriqueiras para quem já adota esses comportamentos, as práticas são extremamente representativas para um cenário de inovação da advocacia.

É por meio de ações consolidadas no cotidiano que nos preparamos para os desafios que estão por vir.

A mudança de modelo mental, o famoso mindset, é fundamental para acompanhar a evolução da advocacia. Nós acreditamos que vamos ter muitas novidades no setor e ainda vamos dedicar conteúdos exclusivos para abordar temas como Advocacia 4.0 e Inteligência Artificial com profundidade.

Afinal, partimos do princípio que o entendimento do cenário é fundamental para mudanças efetivas e ações positivas.

Então, se você em alguma curiosidade sobre algum tema específico que permeia o imaginário futuro da advocacia, conta para a gente nos comentários! Vamos fazer o possível para responder suas dúvidas. E se você gostou do conteúdo, não deixe de recomendá-lo! 🙂

Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

 

2 Comentários