fracasso na carreira da advocacia

10 motivos que explicam o fracasso na carreira da advocacia

Comentar
Recomendar

O número cada vez maior de advogados no mercado brasileiro por vezes é apontado como motivo determinante para o sentimento de fracasso na carreira da advocacia. No entanto, existem outros fatores que culminam para isso – e muitas vezes podem estar nas próprias atitudes dos advogados. 

São erros comuns, que deixam os profissionais frustrados e os levam até mesmo a desistirem da profissão. Um dos maiores exemplos é de advogados não visualizarem seus escritórios como uma empresa e não desenvolverem uma visão empreendedora. 

Em pouco mais de cinco anos de fundação do escritório de advocacia do qual sou sócia, o L Galvão Advogados, passei por muitos aprendizados. Por este motivo, neste texto compartilho 10 motivos que explicam o sentimento de fracasso na carreira da advocacia. 

Por que há tanto sentimento de fracasso na carreira da advocacia?

É verdade que os cursos de direito focam no conteúdo técnico para as carreiras jurídicas, e deixam de lado todo o know how que o advogado precisa para, de fato, exercer a advocacia. Porém, o que se vê é pouca busca por aprimoramento de áreas que complementam a profissão.

O que comprova isto é uma pesquisa realizada pela Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas. Os resultados indicaram que pelo menos 80% dos profissionais do Direito que buscam aperfeiçoamento profissional o fazem em áreas relacionadas ao mundo jurídico. Em contrapartida, negligenciam o desenvolvimento em gestão de equipes, captação de clientes e marketing jurídico

Assim, a falta de planejamento, de estratégias, de metas e objetivos contribuem para a falta de sucesso na profissão. Inclusive, são aspectos que aparecem na lista abaixo, que reúne 10 erros frequentes que geram a sensação de fracasso na carreira da advocacia a muitos profissionais. 

Motivos do fracasso na carreira da advocacia

1. Agir sem planejar

No início da vida profissional, grande parte dos advogados atuam em diversas áreas do direito. Além disso, flexibilizam horários de atendimentos, atendem o cliente onde ele bem entender e levam o escritório conforme as situações vão aparecendo, sem nenhum planejamento estratégico.  

Muitas vezes, esta é a única opção do advogado que busca conciliar o seu escritório com outras atividades. Sem falar na ansiedade natural pelo sucesso do negócio, que também faz com que ele acabe agindo sem planejar. 

Porém, no futuro, a falta de planejamento, que parecia tornar as coisas viáveis no início, pode trazer diversos problemas para o escritório e para o advogado. Até mesmo a eficiência do serviço é comprometida, já que o advogado vai estar com o objetivo de angariar novos casos, e nem sempre vai tomar as precauções necessárias nas tratativas com o cliente. E daí surgem situações de fracasso na carreira da advocacia.

Não importa o tamanho do escritório de advocacia. Sempre é importante planejar! E mesmo que até agora você não tenha um planejamento estratégico para o escritório de advocacia, aproveite para começar e colocar em prática o seu próprio planejamento.

Para os advogados que querem crescer de forma ordenada e sem comprometer o futuro de escritório, aqui no blog da Aurum há diversos artigos que podem contribuir. Indico o que fala sobre OKR na advocacia, e que traz a aplicação de uma metodologia utilizada por empresas do Vale do Silício para escritórios de advocacia.

Vale a pena conferir, baixar os materiais, e colocar em prática as dicas. Daqui um ano, você certamente estará feliz com os resultados! 😉

2. Falta de gestão de tempo

Um dos erros que destroem a reputação de um advogado é a perda de um prazo. Imagine o que o cliente vai pensar ao saber que seu advogado perdeu um prazo, e pior, imagine a propaganda ruim que ele fará aos seus conhecidos e parceiros profissionais. Com certeza é um fator de frustração e sensação de fracasso na carreira da advocacia.

A gestão de tempo é fundamental para quem trabalha com prazos improrrogáveis, como é o caso de nós advogados. 

Planilha de controle de processos e atividades judiciais
Mantenha o controle dos seus processos e prazos. Baixe grátis a nossa planilha exclusiva de controle de atividades e processos judiciais. Quero baixar a planilha grátis

Para uma boa gestão de tempo é necessário, antes, traçar um plano. A fim de contribuir o seu planejamento inicial, indico o texto do colega André Kageyama com 8 dicas para melhorar a gestão do tempo na advocacia autônoma.

Além disso, vale lembrar que existem diversos aplicativos para advogados que podem contribuir com a melhora da sua produtividade. Alguns deles têm técnicas simples para concentração ou até mesmo opções para realizar reuniões de forma remota, diminuindo o tempo gasto com deslocamento. 

3. Ter sobrecarga de trabalho

Advogados no início de seus escritórios tendem a aceitar todos os tipos de processo que aparecem, sem pensar em como farão a gestão no futuro, quando todos estiverem em curso e com prazos surgindo regularmente.

O grande erro do advogado é acreditar que vai dar conta de muitos processos, com muitos prazos, ao mesmo tempo – e sem a necessidade de contratar uma equipe. Ou, então, que não vai ter que, em algum momento, priorizar alguns processos.

Imprevistos acontecem com muita frequência na advocacia, e o advogado que não leva esta possibilidade em conta pode fracassar. É claro que não existe uma fórmula mágica.

Para lidar com a sobrecarga de trabalho na advocacia também é preciso levar em conta os itens anteriores: planejamento e gestão de tempo. Colocando isso em prática, é possível estar preparado para a demanda de trabalho e evitar o fracasso na carreira da advocacia. Mas lembre-se sempre que, além disso, é necessário reservar um tempinho para descansar.

4. Não prezar pela experiência do cliente

Advogados que não prezam pela experiência no atendimento, ou que não dão o suporte adequado ao cliente acabam cometendo um dos piores erros que se pode cometer na advocacia. Afinal, o relacionamento com os clientes é um diferencial competitivo na advocacia

Os principais erros no atendimento ao cliente incluem não focar totalmente no cliente e no problema dele durante o atendimento, não investir no relacionamento com o cliente, não pedir sugestões ao cliente e nem levar em conta os seus feedbacks.

Independente do nicho de atuação, não pode se perder de vista que os clientes são o ativo mais importante para qualquer escritório de advocacia ou advogado. Busque sempre colher impressões do cliente sobre o atendimento de seu escritório de advocacia, pois sabemos que a relação entre advogado e cliente é duradoura.

Leia também: Como Mariana Gonçalves mantém um atendimento ao cliente de qualidade

5. Não deixar o cliente falar 

Um erro que o advogado não pode cometer é não instigar o cliente a falar. Ao realizar uma entrevista, o advogado precisa fazer perguntas inteligentes que levam o cliente a falar na maior parte do tempo. 

Quando alguém fala sobre seus negócios ou a sobre a sua vida, eventualmente menciona um problema que possui, ou uma oportunidade que deseja explorar. Pode ser que no momento nem seja algo a ser considerado, mas eventualmente surge alguma questão de emprego, de propriedade intelectual ou um problema bancário. Nessas horas os clientes precisam de ajuda profissional, e você pode ser a escolha.

O advogado que afirma que não é psicólogo e não ouve tudo o que o cliente tem para dizer acaba perdendo grandes oportunidades

Para garantir a efetividade de seus atendimentos, mantenha sempre um script, tomando nota das principais informações e também fornecendo esclarecimentos úteis ao cliente sobre o assunto que o levou a te procurar.

Guia de atendimento com software jurídico
Entregue aos seus clientes um atendimento de excelência! Baixe grátis o guia de atendimento ao cliente com software jurídico. Quero baixar o guia de atendimento

6. Confundir eventos de rede com oportunidades de venda

Um grande erro que muitas pessoas – e não apenas advogados – cometem é tentar se vender em um evento de networking em vez de criar conexões. Seja uma conferência, uma reunião ou uma recepção para um grupo de negócios, estes não são momentos de vender seus serviços. Pelo contrário, estas ocasiões representam a chance de aprender sobre os negócios de alguém que você acabou de conhecer.

No entanto, muitos advogados começam a contar para outras pessoas tudo sobre seu trabalho assim que apertam as mãos pela primeira vez.

Não se trata de trocar cartões de visita com o maior número possível de pessoas, mas encontrar aquelas com assuntos em comum. Muitas vezes podem ser problemas que você pode ajudá-las a resolver, planos e metas na advocacia parecidos com os seus, ou até mesmo desafios em comum.

Mais: Conheça os principais eventos para advogados do Brasil.

7. Deixar de acompanhar as pessoas-chave que você conhece

Não deixe que um novo contato esqueça você. No dia seguinte ao encontro, seja em um evento ou em outro lugar, envie um breve e-mail de “bom vê-lo na recepção”, ou até mesmo com alguma informação mais específica do evento, como um comentário sobre o tema de uma palestra. 

Novamente, essa não é uma oportunidade de venda, mas uma maneira de começar a construir um relacionamento. E isto serve não só para clientes, mas também para parceiros.

Para adicionar um toque à nota, inclua outras informações. Pesquise por artigos e notícias recentes relacionadas aos negócios ou setor daquele contato. Você pode comentar sobre alguns pontos de destaque e até mesmo relacionar com a última conversa que tiveram. Isto o ajudará a se destacar na mente deles.

Se você é um participante de painel em um evento, palestrante, ou faz um discurso, não deixe de obter uma lista de contatos de todos que estão na plateia para que você possa acompanhá-los também. 

Neste caso, um breve e-mail também tem eficiência. Escreva se disponibilizando a tirar dúvidas sobre sua palestra, e também demonstre suas expectativas. Por exemplo: “Espero que você tenha achado minha palestra útil. Se houver alguma dúvida após o término da sessão, fique à vontade para enviar uma nota para mim”

É assim que você começa a estabelecer um relacionamento individual com pessoas interessantes. 😉

8. Não dar antes de tentar receber

Tentar apressar-se ao longo do relacionamento com um potencial cliente demonstra que você está se concentrando nos seus desejos, não nas necessidades dele.

Não alimentar relacionamentos antes de efetivamente trabalhar para alguém é um erro que muitos advogados cometem. E na maior parte das vezes o fazem na pressa de conseguirem um cliente e da consequente entrada de dinheiro no escritório.

Lembre-se que o trabalho do advogado é essencialmente baseado na confiança. A construção de um relacionamento de confiança e respeito mútuos é primordial para conseguir bons resultados com o cliente e evitar o sentimento de fracasso na carreira da advocacia.

9. Não manter contato com clientes 

Clientes gostam de atenção. Não manter um contato constante com eles é um grande erro, pois tendem a sentir abandono por parte do advogado. Lembre-se que é comum que os clientes não saibam como funciona a rotina jurídica, e manter tratativas claras desde o primeiro contato é primordial. 

Mesmo que tratar de questões jurídicas represente a maior parte do seu dia, para o cliente, muitas vezes, é algo que traz grande carga emocional e que representa uma novidade.

Assim, retornando ao item 4, tente melhorar a experiência do cliente com contatos frequentes – e, claro, oportunos. Seja compartilhando uma notícia relevante por e-mail ou até mesmo tranquilizá-lo sobre os procedimentos, prazos e expectativas do caso sob o seu patrocínio.

Manter contato não significa telefonar toda semana ou agendar um almoço todo mês – embora fazer as duas coisas com um cliente inativo duas vezes por ano não seja uma má ideia.

Aqui no blog da Aurum você confere um conteúdo que trata especialmente sobre este assunto. O colega Mateus Terra listou 5 motivos da importância do feedback para clientes na advocacia e deu algumas dicas de como realizar esse contato frequente. Vale a leitura!

10. Não sugerir novas ideias para os clientes

Tradicionalmente, os advogados são reativos: se o cliente tem um problema ou uma oportunidade, então o advogado é chamado para ajudar. 

Mas quando os escritórios sugerem novas ideias para os clientes, como uma maneira de evitar possíveis problemas, uma estratégia que gere economia ou uma oportunidade emergente de aproveitar, isto pode levar a novos trabalhos.

Manter um relacionamento ativo com a base de clientes e, também, estar sempre atento às necessidades geradas por aquele nicho, é essencial para manter-se firme na advocacia. Isso porque, além de conquistar novos contratos, é possível ampliar o relacionamento com os antigos clientes e até mesmo receber indicação na advocacia

Superando o sentimento de fracasso na carreira da advocacia

Agora que você já sabe quais são os principais motivos que geram a sensação de fracasso na advocacia, é hora de buscar soluções para as situações com as quais você se identifica. Ao longo do texto deixei algumas dicas de materiais e conteúdos gratuitos aqui no blog que podem te auxiliar. Vale a leitura!

Além disso, para servir de inspiração, destaco a entrevista que a equipe da Aurum fez com o advogado André Kageyama. Ele falou sobre seus principais desafios da advocacia ao longo da carreira – muitos deles, inclusive, relacionados aos pontos que destaquei acima.Confira clicando aqui.

Para fechar, conte para a gente o que achou do texto! Você concorda minha lista de 10 motivos que causam o sentimento de fracasso na carreira da advocacia? Tem algo a acrescentar? É só deixar sua opinião nos comentários abaixo! 🙂

Organize sua advocacia sem ferir o orçamento

Crie sua conta até  31/07/2020  e garanta 1 ano grátis no plano Light do Astrea

Saiba mais
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

    Nenhum comentário
    Você está aqui