Como os erros fazem parte do processo na Aurum

Como os erros fazem parte do processo de evolução na Aurum

Comentar
Recomendar

Você deve conhecer o ditado “é errando que se aprende”, que é muito repetido nos momentos em que nos frustramos por acreditar que colocamos tudo a perder ao falhar. E apesar de não causar as melhores sensações do mundo, o erro faz parte do processo e da nossa evolução tanto como profissionais quanto seres humanos.

Aqui na Aurum, nós levamos isso muito a sério. Não no sentido de apontar o dedo, mas como um sinal positivo de que estamos crescendo, inovando e, principalmente, permitindo que as pessoas falhem e não se sintam mal por isso. 

Aprender a lidar com os erros é um desafio, e por isso mesmo estamos aqui para abrir o jogo sobre a nossa visão como empresa e trazer os benefícios que uma cultura aberta ao erro traz.

A importância de errar

Antes de tudo, é importante deixar claro que ter a liberdade para errar não significa errar o tempo todo. As falhas não são iguais. Se um dia erramos em não conversar com a pessoa responsável sobre um projeto antes de criar expectativas, dificilmente iremos cometê-lo novamente. Afinal, aprendemos com os nossos erros.

E por isso mesmo compartilhar as falhas com a equipe é essencial para que exista um crescimento. Assim, os erros não precisam se repetir.

Na Aurum, as pessoas são incentivadas a testarem e sabem que está tudo bem caso não dê certo, mas é preciso colher um aprendizado a partir disso. Abrir espaço para o erro é abrir espaço para o novo

Quando errar não é uma opção, não existe aprendizado, criatividade ou inovação.” 

Brené Brown.

Uma das competências principais da nossa cultura é “autonomia com resultado”, que indica que cada pessoa é livre para propor ações e projetos. No entanto, essa autonomia vem com muitas responsabilidades também. É preciso de organização, planejamento e análises para entregar a ação, mesmo que o resultado não seja o esperado.

Na Aurum, os erros fazem parte do processo. As pessoas não esperam que você seja perfeita e tenha respostas para tudo, mas sim que você proponha, que você tente. E se algo sair errado, alguém vai apontar isso, de forma individual, e vai te ajudar a pensar numa solução. O erro aqui dentro faz parte do processo de inovação, e essa possibilidade humaniza as pessoas e as relações na Aurum: ninguém é perfeito, tá todo mundo se desenvolvendo.”

Cacau, analista de pessoas na Aurum.

Os erros fazem parte da inovação

No Vale do Silício, há algo chamado “Cultura do Erro”, que encara os erros como parte natural do crescimento de uma empresa e essencial para a inovação. Na Aurum também encorajamos a inovação e entendemos que, nesse cenário, os erros fazem parte do processo.

Isso porque, ao condenar as falhas, as pessoas não se sentirão seguras para propor e criar. O medo irá falar mais alto e camuflar boas ideias e soluções inovadoras. 

Com o planejamento estratégico e o OKR, temos um ambiente muito controlado e desafiador. Assim, conseguimos detectar as falhas rapidamente e buscar soluções logo que o problema acontece. Aqui, os erros são tratados de forma constitutiva, sem julgamentos.

Para inovar precisamos dar liberdade às pessoas e validar as ideias propostas pelo time. Durante esse processo, vamos errar muitas vezes e não achamos ruim, já que consideramos isso um motor do aprendizado. Claro que, a cada erro, temos que extrair alguma lição e esta deve ser compartilhada com a equipe. Assim evitamos que as outras pessoas passem pelo mesmo.”

Gustavo, CTO na Aurum.

Saiba como fazer OKR na advocacia aqui no blog da Aurum!

Como evitamos os erros

Para evitar que os erros aconteçam, utilizamos as metodologias ágeis, que defendem um planejamento contínuo e com duração de uma a duas semanas. Logo, é muito mais fácil encontrarmos gargalos e evoluir com as nossas ações.

Dessas metodologias, usamos dois rituais em comum em toda a Aurum:

  • Planning: é uma reunião para planejarmos a semana ou a quinzena. É também um momento de compartilhar como nos sentimos com o trabalho durante os últimos dias e fazer alinhamentos.
  • Daily: é uma reunião diária com duração de poucos minutos, onde compartilhamos o que estamos trabalhando no momento e quais serão nossas próximas ações. Também pode ser usada para alinhamentos e expor dificuldades.

E sabe qual o melhor? São reuniões simples que podem ser utilizadas em qualquer empresa, incluindo escritórios de advocacia. 🙂

Como aprendemos com os erros

Aprender com os erros não é uma tarefa simples. Afinal, costumamos sentir vergonha ao perceber que erramos, e naturalmente queremos esconder e até mesmo esquecer do que aconteceu. Então, como aprender quando não encaramos o erro como parte do processo?

Para isso, o erro não é e nem deve ser visto como um fracasso, um ponto final. Através dele, podemos descobrir uma imensidão de possibilidades sobre o nosso trabalho. É só parar para refletir sobre. O processo estava muito engessado? Faltaram alinhamentos para a ação dar certo? Não foi feito um planejamento adequado?

No Time de Marketing, por exemplo, todo final de trimestre fazemos uma retrospectiva dos pontos bons e ruins relacionados às ações e projetos, e este momento é compartilhado entre todas as pessoas do time. 

Conseguimos criar na Aurum um ambiente acolhedor e seguro que as pessoas se sentem à vontade para testar e inovar em suas entregas. Isso não quer dizer que não erramos, muito pelo contrário, erramos muito, mas conversamos sobre esses erros e aprendemos com eles. E o principal, colocamos em prática esses aprendizados e documentamos para que outras pessoas consigam aprender também! Um exemplo aqui no Marketing são as retrospectivas que rodamos no final de cada projeto, onde listamos o que deu certo, o que não deu e o que podia ter sido melhor – e como, se já tivermos sugestões.”

Victor, gerente de Marketing na Aurum.

Já no Time de Tecnologia, há o processo de verificar o que pode ou não ser automatizado para facilitar o trabalho. Assim, toda vez que a equipe passa por momentos de falhas e aprendizados, discute sobre como podem automatizar.

Com todo esse processo de automação, fica mais fácil trazer novos integrantes para nossos times e até mesmo crescer criar mais times, e assim focar o nosso trabalho de onboarding dos novos membros no que realmente importa: construir um grande produto.”

Gustavo, CTO na Aurum.

Esses processos simples não apenas nos ajudam a aprender com os nossos erros, mas também a crescer e nos desenvolver como equipe.

Errar faz parte

Uma coisa é fato: erros são parte do processo. Faz parte da vida, das relações pessoais, do trabalho. Em A Coragem para ser Imperfeito, a autora bestseller e pesquisadora de vulnerabilidade Brené Brown, diz que:

…Quando ousamos grandemente nós cometemos erros e nos decepcionamos várias vezes. Haverá fracassos, equívocos e reprovações. Se quisermos ser capazes de avançar em meio às duras decepções, aos sentimentos de ingratidão e às tristezas, que são inevitáveis em uma vida plena e bem vivida, não poderemos achar que os revezes são provas de que somos indignos de amor, de aceitação e de alegria. Se fizermos isso, nunca nos mostraremos nem tentaremos de novo.”

Levantar depois de uma queda, no fim, é a melhor forma de lidar com a frustração de cometer um erro. E aqui na Aurum, estamos sempre com as mãos estendidas para quem precisa do nosso apoio! 🙂

E aí, você também vê os erros como parte do processo? Conta pra gente nos comentários!

Finalmente
chegou a hora de crescer sua advocacia!

Com o Astrea você automatiza sua rotina jurídica e ganha tempo para colocar planos em prática

Comece grátis
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

    Nenhum comentário
    Você está aqui