ecossistema-de-inovacao

A importância do Ecossistema de Inovação na advocacia

Comentar
Recomendar
Já pensou em aplicar lições do ecossistema de inovação na advocacia? Os operadores do direito podem se beneficiar deste universo de diversas maneiras. E é sobre isso que vou falar no texto de hoje.

Antes de começar, acho importante compartilhar com você alguns conceitos importantes sobre o tema. A partir dessas definições fica mais fácil entender algumas atitudes que são estimuladas nesse meio. Confira:

Afinal, o que é um Ecossistema de Inovação?

O termo surgiu a partir da apropriação do conceito de ecossistema da biologia, que é entendido como um conjunto de interações entre os organismos vivos e os componentes abióticos. Ou seja, plantas, animais e micróbios, além dos elementos químicos e físicos, como o ar, a água, o solo e minerais.

Em uma analogia, o conceito biológico foi transportado para o ambiente de inovação. Assim, surgiu o “Ecossistema de inovação”.

Ele pode ser entendido como um conjunto de indivíduos que interagem e uma determinada região, promovendo, estimulando e produzindo inovação e negócios inovadores. Esses “indivíduos” podem ser o próprio governo, universidades, institutos de pesquisa, laboratórios, pequenas e grandes empresas e até o mercado financeiro.

Assim, a ideia é criar um ambiente de desenvolvimento empresarial que alcance resultados mais promissores do que a atuação isolada e individual de cada uma das partes envolvidas. Fácil de entender, não é? Então vamos conhecer os atores desse sistema.

Os atores do Ecossistema de Inovação e seu papel

São inúmeros os atores que influenciam no desenvolvimento de um ecossistema de inovação. Destaquei 5 deles abaixo:

1. Talentos

A existência de talentos é um fator essencial para qualquer ambiente. E para que um ecossistema se desenvolva e prospere é primordial a construção e retenção dessa força de trabalho. Assim, será possível obter profissionais com as características necessárias às startups e com capacidade de construir negócios inovadores e manter o espírito da inovação local.

Os principais fatores que levam a construção e manutenção de talentos estão ligados a uma comunidade com instituições de ensino de excelência. São universidades, oportunidades de cursos, workshops, eventos e hackathons. Junto disso, um espaço compartilhamento de informações, de conquistas e falhas, além de um mercado de trabalho que estimule as diferentes habilidades, experiências e mindsets.

2. Densidade

Nada mais estimulante e significativo para o aprimoramento de um ecossistema de inovação senão a história por trás dele. A presença de grande mestres e o convívio com mentes brilhantes e empreendedores de sucesso aumenta drasticamente o potencial de surgimento de novos negócios de destaque.

A densidade pode ser estimulada através de programas de fomento, criação de aceleradoras e de incubadoras. Também por meio da construção de hubs de inovação, reunindo uma rede de mentores, pesquisadores e empresas, além de atração de empresas de sucesso.

3. Cultura

Acredito que este é um dos fatores mais difícil de se desenvolver dentro do ecossistema de inovação, uma vez que ela depende de fatores psicológicos, comportamentais e históricos. Porém, ela pode e deve ser estimulada.

A cultura da inovação está muito atrelada a capacidade de superação, aceitação do fracasso e manutenção do foco. Aceitar o fracasso e conviver com ele é parte integrante do aprendizado. Além disso, o compartilhamento de ideias, informações, conhecimentos e habilidades são quesitos essenciais para criar de uma cultura empreendedora.

Nesse aspecto é importante sempre lembrar que o compartilhamento de ideias não é uma “divisão” de conhecimento, mas sim um “multiplicação” de aprendizados.

4. Capital

Outro fator importante para o crescimento do ecossistema de inovação é a existência de atores que concedam capital aos empreendedores, principalmente àqueles em fase inicial ou em expansão do negócio. Embora o capital não seja o fator que define quais empreendimentos tiveram sucesso e quais fracassaram, ele ajuda em fases específicas e possibilita o crescimentos das empresas.

A existência de investidores e bancos com experiência em empresas inovadoras auxilia a comunidade para saber como obter e utilizar os recursos. O que pode fazer a diferença para o sucesso da empresa. Investidores experientes podem ajudar os fundadores do coach ao longo de sua jornada.

Os formuladores de políticas podem adotar medidas proativas para facilitar o acesso das startups ao capital necessário para iniciar e ampliar os negócios e criar incentivos fiscais para os investidores.

5. Governo

Os Governos têm um papel a desempenhar criando um ambiente regulatório estável, previsível e favorável para empreendedores e investidores.

Para criar um ambiente regulatório favorável, os países devem se concentrar na facilidade de iniciar e fechar um negócio, política fiscal, responsabilidade intermediária e portos seguros. Além disso, buscar manter uma rede global, proteção patentária que apoie a inovação, formalizando modelos alternativos de financiamento e investindo em R&D.

Benefícios do ecossistema de inovação na advocacia

Agora você já conhece o ecossistema de inovação, os atores envolvidos e, principalmente, a visão de interconexão e colaboração existente nesse ambiente. Por isso, podemos falar sobre como os operadores do direito podem começar a se planejar e inserir nesse meio.

Veja como você pode se beneficiar deste universo, contribuindo e obtendo resultados a partir dele:

Trocando de experiências

A palavra que mais se apresenta no ecossistema de inovação é colaboração, sendo estimulado o comportamento give first. Portanto, pense em contribuir sem objetivos de retorno. Deixe isso para o tempo.

O ambiente de inovação é muito volátil. O conhecimento conquistado até então pode não valer mais meses depois. Pensando nessa “instabilidade” e o desafio constante por aprendizado, seja uma ponte de auxílio, troque experiências e estimule a criação de conexões. Contribua com o que você sabe.

Utilize os seus erro para ajudar outras pessoas. Além disso, escute ensinamentos de empreendedores que falharam ou obtiveram sucesso e utilize-os de modo a aprender. Aprender com as falhas dos outros é sempre mais barato, ágil e inteligente, não se deixe falhar para então aprender.

Criando redes de indicação

Se você está próximo do ecossistema de inovação e contribuindo para o seu desenvolvimento, provavelmente será lembrado quando alguém buscar o serviço ou produto que você é expert.

Conhecer pessoas, empresas, universidades e parceiros pode ser uma excelente forma de ser conseguir indicação de clientes na advocacia. Isso porque neste tipo de ambiente, as empresas crescem próximas e confiam no trabalho umas das outras.

Para o cliente isso é vantajoso, afinal tudo fica mais fácil e ágil quando os fornecedores estão juntos e colaboram entre si. Além disso, para as empresas, estabelecer uma rede de parcerias torna o trabalho mais fluido e eficaz a cada projeto.

Adquirindo novos conhecimentos

Outro ponto de destaque é a possibilidade de troca de ideias e a agilidade em obter novos conhecimentos. O ecossistema de inovação é muito dinâmico, a cada momento novos negócios são criados, novos processos são desenvolvidos, novas culturas são estimuladas e novas formas de atuar são percebidas.

Nada mais fácil para adquirir conhecimento senão estar inserido nele, conversando com os seus atores, lendo notícias, participando de eventos para advogados e conferências, enfim tendo contato com o ecossistema.

Aquisição de talentos

Captar novos talentos é um desafio constante das empresas. Podemos falar que contratar as pessoas certas pode ser o diferencial para que a um negócio cresça e seja reconhecido como referência.

Conseguir conquistar os talentos certos e mantê-los dentro da seu escritório é ainda mais importante quanto tratamos de uma advocacia especializada e setorizada. Afinal, a qualificação dos profissionais é essencial nestes casos.

Outro fator importante é contratar e manter profissionais que se conectem com o ecossistema de inovação, respirem tecnologia e sejam protagonistas.

Se você deseja saber mais sobre como é esse profissional, confira no infográfico O Perfil do Advogado Moderno. Ele é o resultado de uma pesquisa feita pela Aurum para entender o cenário e contrinuir para a modernização do setor jurídico. Você pode baixar o material grátis e em alta resolução clicando aqui.

A atuação dos Advogados no Ecossistema de Inovação

Como visto, os advogados têm muitos benefícios ao participarem do ecossistema de inovação. Porém, algo importante a ser frizado é que, ao atuar nesse segmento o profissional precisa fugir do tradicional. Para conseguir prosperar você deve ter atitudes inovadoras e dinâmicas.

O advogado deve participar ativamente das discussões e utilizar a criatividade para construir negócios jurídicos válidos aos seus clientes. Mais que isso, precisa adaptar o direito da atualidade aos modelos de negócio inovadores.

Também é preciso ir além do conhecimento jurídico. Noções de administração, processo de venda, marketing, modelos de negócio e outras habilidades serão requisitadas aos advogados. Conhecimentos que não são necessariamente adquiridos na faculdade de Direito.

Por fim, a atuação do advogado será essencialmente extrajudicial, mitigando os riscos, auxiliando na definição de estratégias do negócio e conciliando a inovação à legislação atual. A advocacia adquire um forte viés educativo ao cliente, com o objetivo de informá-lo, reduzir os riscos da atividade, além de viabilizá-la juridicamente.

Desta forma, o exercício da advocacia nesse contexto adquire o caráter preventivo de conflitos, adequando os interesses dos clientes a maneiras possíveis de obtê-los. Diverge, então, da visão tradicional do advogado que aceita e executa, no mínimo, os objetivos iniciais do cliente, sem se preocupar com os riscos que essa ação pode gerar, futuramente.

Quer ficar expert nesse assunto? Se inscreva gratuitamente no portal O Futuro da Advocacia! São várias trilhas temáticas com e-mails, vídeos e artigos gratuitos! 😉

Quero conhecer o portal o futuro da advocacia

Conclusão

A partir do conhecimento de como funciona um ecossistema de inovação na advocacia, é possível perceber que diversos benefícios surgem a partir desta união. Desde contratação de profissionais, indicação de clientes e aquisição de conhecimento.

Por outro lado, para participar e colher bons frutos o advogado precisa expandir sua mentalidade e fugir do formalismo jurídico, atuando para estimular a inovação e não barrá-la. Deve, ainda, agir como um conciliador, retirando as vestes de litigioso e “briguento”, auxiliando os empreendedores na mitigação de riscos jurídicos sem matar o negócio inovador.

Acredito que o advogado precisa ter habilidades empreendedoras, conhecer diversas áreas que serão usadas para enriquecer e aprimorar o trabalho jurídico. Mas, principalmente, que fale mais “SIM” do que “NÃO”. Isso não quer dizer que deverá estimular a criação de negócios que afrontem a legislação vigente, mas sim que encontre formas para que o empreendimento seja realizado.

E você, como acha que o ecossistema de inovação pode contribuir para a advocacia? Quais qualidades um advogado precisa ter para atuar neste meio? Deixe a sua opinião nos comentários! 😉

12.000 Advogados

Já controlam seus processos e prazos com o software jurídico Astrea

Experimente grátis
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

 

    Nenhum comentário
    Você está aqui