cocriacao-com-clientes

Cocriação: o relacionamento com clientes como fonte de inovação

Comentar
Recomendar
Uma das coisas que mais me empolga em trabalhar na área de produto é todo o processo criativo pelo qual passamos até realmente entregarmos valor a nossos clientes. Mais do que criar, o que me faz realmente gostar do que eu faço é a interatividade que está implícita ao desempenhar o papel de Product Owner (PO) do Astrea.
Uma das minhas principais tarefas é entender a fundo a dor de nossos clientes para maximizar o valor que entregamos através das nossas soluções e interatividade é a palavra chave. Cada vez mais, o mercado exige maior empatia e isto nos leva a evoluirmos as formas de comunicação com nossos clientes de forma construtiva e colaborativa. E é para onde a Aurum está caminhando.
A inovação costuma ser compreendida como grandes invenções ou processos de produção revolucionários. Mas o cotidiano das empresas exige inovações, em sua maioria, mais modestas, onde o objetivo são melhorias de eficiência, velocidade e custos. Com isto, surgiu o conceito de inovação incremental – melhoria contínua de produtos e processos que está mais voltada a melhorar aquilo que as empresas já dominam, mas hoje isso não basta. Precisamos ir além e é onde nos deparamos com a cocriação.
Cocriação é uma forma de inovação que acontece quando as pessoas de fora da empresa como fornecedores, parceiros e clientes contribuem com o negócio ou produto. E o valor que se gera é percebido pelo cliente com maior facilidade, pois ele acaba envolvido e engajado a contribuir cada vez mais. Principalmente pela facilidade de acesso a internet e às ferramentas disponíveis.
Apesar da cocriação trazer inúmeras vantagens e aproximar os clientes, também tem seus desafios. Tanto as empresas quanto seus clientes precisam compreender que a interação é construída. Para isso, é necessário se estabelecer transparência e a empresa ter forte clareza sobre o propósito desta relação e para onde seus produtos e serviços estão sendo direcionados. Portanto, é importante criar um ambiente transparente e colaborativo para que haja uma relação ganha-ganha. Do contrário ela não se sustenta.

Como fazemos na Aurum

Na Aurum sempre ouvimos nossos clientes, mas agora em 2017 formalizamos a maneira como desejamos trabalhar junto deles e trouxemos para nossa realidade a ideia de inovação compartilhada. No mês de maio lançamos a central de sugestões do Astrea, onde nossos clientes podem expor o que sentem falta no software e trocam ideias entre eles agregando conhecimento.
Além de abrir este espaço e acompanhar de perto toda a interação, também deixamos de forma transparente como funciona a nossa política de atendimento a melhorias e de que forma ocorre toda a análise dentro da Aurum. Assim os usuários do Astrea sabem exatamente o que acontece depois que recebemos uma sugestão. O resultado tem sido extremamente satisfatório e já temos coletado insights que confirmam nossas expectativas ao estabelecermos esta aproximação e troca com nossos usuários.

Cocriação em escritórios de advocacia

Talvez de início, não fique evidente que este conceito se encaixe num escritório de advocacia, mas quem utiliza o Design Thinking acaba utilizando a cocriação. Inclusive já escrevemos aqui no blog dando dicas de como utilizar o Design Thinking na advocacia. Se quiser dar uma olhada, veja aqui.
Mas voltando ao nosso tema, a cocriação pode ser utilizada nos mais diversos contextos, pois sempre existe a necessidade de se criar algo novo ou solucionar diferentes desafios de forma criativa e com maior agilidade. A seguir, listo algumas dicas de como viabilizar um ambiente de cocriação:

  • Crie relacionamentos com seus clientes e sócios de forma a dar suporte estrutural para a criação e aplicação de recursos, com foco na qualidade dos relacionamentos e experiências derivadas da cocriação. Exemplo: esteja aberto a discussões, promova reuniões e eventos, onde todos tenham liberdade para expor suas experiências. Procure ferramentas e abra canais que promovam esta interação.
  • Lembre-se que a interação comunicativa deve ser de duas vias, onde todas as partes trocam informações, pois a principal premissa da cocriação é que a criação deixa de ser um processo unilateral e se torna bilateral.
  • Estude e tenha o conhecimento necessário para incrementar a experiência de seus clientes e sócios, especialmente quando a cocriação ocorre através do diálogo e aprendizagem em conjunto. As discussões serão mais enriquecedoras.

E se você ficou curioso de como isso funciona dentro do software jurídico Astrea, que tal aproveitar para experimentar gratuitamente? Aproveita e manda sua sugestão de melhoria pra gente também 😉
Experimente o Astrea grátis

Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

 

    Nenhum comentário
    Você está aqui