captação de clientes na advocacia trabalhista

Como melhorar a captação de clientes na advocacia trabalhista

Comentar
Recomendar
A captação de clientes na advocacia trabalhista sempre esteve muito atrelada ao relacionamento do advogado com sindicatos. Porém, cada vez mais é preciso pensar em outras estratégias para atrair clientes na advocacia. E na área trabalhista não é diferente.

No atual cenário juslaboral brasileiro, os sindicatos estão cada vez mais perdendo força política. Isso faz com que os trabalhadores busquem cada vez mais soluções jurídicas na internet por conta própria.

E essas buscas podem levar um trabalhador, e possível cliente, a conhecer o seu trabalho. Como? É o que eu explico neste artigo!

A importância do Marketing Jurídico na captação de clientes

Você já ouviu falar em marketing jurídico? Se sim, sabe que é uma estratégia utilizada por muitos escritórios de advocacia para atrair clientes. Mas, se você não tem ideia, vou explicar de maneira simples.

A captação de clientes na advocacia trabalhista pode ser realizada por meio do Inbound Marketing. A Resultados Digitais define como um “conjunto de estratégias de marketing que visa atrair e converter clientes usando conteúdo relevante.”

Diferentemente do marketing tradicional, no Inbound Marketing o prestador de serviços não vai atrás de clientes. Ele explora canais para ser encontrado por meio da publicação de conteúdos sobre assuntos que os possíveis clientes estão à procura. Pode ser em mecanismos de busca, blogs e redes sociais.

Para se ter ideia de como essa estratégia é importante, a plataforma Jusbrasil, em sua seção de Escritório Online, compartilhou alguns dados. Segundo a estatística, os advogados que mostram conhecimento e compartilham experiências conseguem agendar 3 vezes mais visitas.

Portanto, o profissional que escrever e tirar dúvidas de seus leitores sobre assuntos que domina, tem 3 vezes mais chances de captar clientes. Que tal aplicar essa estratégia também à captação de clientes na advocacia trabalhista?

O que o brasileiro mais busca sobre advocacia trabalhista

Antes de tudo, é importante saber o que o brasileiro procura. Nesse sentido, trago dados do Google Trends. Entre os tópicos em ascensão relacionados à reforma trabalhista no buscador, estão:

  • Jornada 12×36 reforma trabalhista
  • Recontratação reforma trabalhista
  • Prazo pagamento rescisão reforma trabalhista
  • Fracionamento de férias reforma trabalhista
  • Início de férias reforma trabalhista
  • Pedido de demissão reforma trabalhista

Inclusive, cabe mencionar que a Reforma Trabalhista é mais procurada no Google do que a própria Operação Lava Jato.

Os dados demonstram que o interesse do brasileiro por uma resposta a suas dúvidas é gigantesco. Principalmente no presente cenário, em que ocorrem mudanças legislativas.

Isso demonstra o grande potencial para a criação de conteúdos com o tema e que serão consumidos por trabalhadores. Ou seja, um público de possíveis clientes.

Como produzir conteúdo para a captação de clientes na advocacia trabalhista?

Para o advogado tradicional, elaborar materiais para captação de clientes na advocacia trabalhista é mais difícil do que parece. Mas não impossível!

Se vocẽ seguir estas três dicas simples, tenho certeza de que vai conseguir produzir um conteúdo de qualidade. Confira:

1. Utilize palavras simples

É necessário retirar qualquer tipo de juridiquês do texto que você vai produzir. Isso porque, necessariamente, ele deve se afastar do formato de petição. Aposte em palavras simples e de fácil entendimento.

O escritor William Zinsser, em seu livro “Como escrever bem”, nos ensina que “o leitor é um indivíduo com 30 segundos de atenção”. Quanto mais difícil for para ler e compreender o teor de um texto, maiores são as chances de desistência ao longo da leitura.

A utilização de palavras “pseudo chiques”, por meio de brocardos latinos ou português arcaico, apenas contribuem para a ocorrência da situação descrita acima.

2. Seja objetivo

O leitor em dúvida não está preocupado com o estilo da escrita. Ele quer apenas em despender o menor esforço para entender a resposta do seu problema.

Então, quanto menor, mais objetivo e simples o texto for, maior será o seu sucesso em transmitir a mensagem pretendida.

Ou, nas palavras do próprio William Zinsser: “Procure detectar todos os excessos no seu texto e corte-os sem dó. Agradeça sempre que puder jogar algo fora. Releia cada frase que colocou no papel.”

Uma dica do autor é se perguntar se aquele pensamento não poderia ser expresso em menos palavras. O mantra de quem for produzir conteúdo deve ser: “simplificar, simplificar.”

3. Entenda os assuntos

Outro aspecto relevante é entender quais são os temas de interesse do leitor trabalhista. Escrever para o cliente a ser captado é diferente de escrever para outros advogados.

Conforme visto nos dados do Google Trends, os trabalhadores buscam por respostas aos problemas que estão enfrentando em suas próprias relações profissionais. São assuntos como fracionamento/início de férias, demissão e recontratação, entre outros.

Assim, escrever sobre temas muito específicos e voltados à colegas advogados não vai ajudar você com a captação de clientes na advocacia trabalhista. Dificilmente o Google vai redirecionar o trabalhador com dúvidas para uma página assim.

É necessário, antes de tudo, observar quais são as dores do público alvo. Depois, então, você pode escrever sobre o assunto. Lembre sempre de manter simples e objetivo o material a ser publicado na internet.

Conclusão

Agora você conhece uma maneira diferente para melhorar a sua captação de clientes na advocacia trabalhista.

Com o Marketing Jurídico é possível atrair clientes nos mais diversos nichos. Por isso, vale ficar por dentro das novidades do mercado e produzir conteúdo relevante para o seu público.

E você, como faz a captação de clientes na advocacia? Compartilhe com a gente nos comentários.! Outras dicas também são super bem-vindas. 😉

22.000 Advogados

Já controlam seus processos e prazos com o software jurídico Astrea

Experimente grátis
Comentar
Recomendar
Vamos continuar a conversa?

 

    Nenhum comentário
    Você está aqui