TI para advocacia – terceirizar ou criar departamento?

TI para advocacia

A tecnologia da informação há tempos é considerada vital para qualquer empresa, principalmente em negócios que lidam com informações sigilosas como é o caso do jurídico. Um bom departamento de TI para advocacia deve ter como premissa: viabilizar o negócio para possibilitar que os advogados, sócios e colaboradores se dediquem totalmente a prestar um serviço de qualidade para seus clientes, o que por si só já envolve uma série de fatores. Além disso, do ponto de vista de um cliente, é estritamente necessário que haja confiabilidade na hora de contratar o serviço de um advogado, no sentido de que suas informações devem estar armazenadas em ambiente seguro para que tudo não seja perdido no meio do caminho.

Equipe interna

A criação de um departamento de TI interno tem como principal vantagem o fato de existir um profissional/equipe alocado exclusivamente em atender as necessidades do escritório/advogado. Outro ponto à favor da criação da área é a confiabilidade e o alinhamento conciso aos objetivos do negócio, tendo em vista que o jurídico possui algumas particularidades incomuns à outros segmentos – ainda que em contratos de terceirização possam ser agregados acordos SLA que também garantem a qualidade dos serviços.

No entanto, possuir uma equipe interna despende altos custos com encargos trabalhistas e tempo ocioso do profissional quando não há demanda de tecnologia. Além disso, existe a necessidade de capacitar e atualizar os conhecimentos dos profissionais de TI de acordo com as movimentações e inovações do mercado, o que se torna um desafio para os gestores uma vez que esses normalmente não possuem conhecimento técnico o suficiente.

Terceirização

Apesar de os custos também não serem baixos, ao terceirizar a TI, o escritório pode contar com equipes multidisciplinares apoiadas por um ambiente tecnológico capaz de atender diferentes aplicações, equipamentos, sistemas operacionais e afins.

Existem empresas que garantem os termos de serviços SLA e definem aspectos como tecnologias utilizadas, perfil dos profissionais, certificações necessárias, ações a serem tomadas para resolver cada tipo de necessidade, entre outros. A grande vantagem é que o escritório tem à sua disposição uma equipe de especialistas contratada como serviço, ou seja, paga de acordo com o consumo, o que reduz significativamente os custos se comparado com ter uma equipe interna.

Tomar a decisão entre um e outro exige entender o momento que o negócio vive. Para um escritório pequeno, é muito mais interessante terceirizar com uma empresa profissional e não se preocupar. Contudo, a partir de um determinado momento, as demandas de TI aumentam a ponto de tornar-se necessário existir pessoas dedicadas à função.

Uma alternativa que mescla o melhor dos dois mundos é manter uma pessoa alocada internamente para executar a parte mais estratégica relacionada aos negócios de fato, e terceirizar toda a parte de infraestrutura para não ter de se preocupar com implantações, manutenções, atualizações e recursos de TI.