O desafio da gestão financeira para escritórios de advocacia

Gestão financeira para escritórios de advocacia

A gestão financeira pode ser, tanto o grande problema, como a grande solução de um escritório de advocacia, assim como de toda empresa. Geralmente, é considerada como o “tendão de Aquiles” das micro e pequenas empresas, pois não é fácil estabelecer o controle do dinheiro que entra e sai se não houver uma forma efetiva de se fazer isso. Existem empresas que não possuem uma pessoa de TI, algumas que não possuem um responsável por marketing e ainda outras que não precisam de RH, mas toda e qualquer empresa possui um departamento ou ao menos uma pessoa que cuide de suas finanças.

Assim como já falamos em um artigo anterior, os atuais modelos dinâmicos de negócio demandam profissionais em sinergia com todas as demais áreas da empresa. O ideal é que o escritório possua um profissional especializado e focado na gestão financeira, com conhecimentos sobre as rotinas e processos de negócio, de forma que todo o fluxo de trabalho seja bem conduzido. Veja alguns exemplos dos erros mais comuns na gestão financeira para escritórios de advocacia:

  • Não ter as despesas fixas da empresa bem mapeadas – ocorre quando não há a separação de despesas pessoais e despesas da empresa;
  • Não saber administrar corretamente o capital de giro da empresa – ocorre quando o responsável financeiro não tem o profundo conhecimento do ciclo financeiro da operação;
  • Não fazer análises e planejamento financeiro da empresa – ocorre quando não existe um sistema de gestão que centralize as informações como fluxo de caixa, demonstrativo de resultados, balanço patrimonial, entre outros;
  • Investir de forma não planejada – ocorre quando o investimento e o estabelecimento de metas são realizados sem uma avaliação prévia e precisa das reais necessidades operacionais.

Avalie a posição financeira atual e apure os resultados

Para que estas falhas não ocorram no seu escritório, antes de qualquer coisa, deve-se avaliar a posição financeira atual do mesmo. O objetivo dessa avaliação é apurar os resultados, sejam eles positivos ou negativos, em relação ao fluxo de caixa e operações do sistema financeiro. Esse processo possibilita visualizar os movimentos financeiros com mais clareza e, consequentemente, gerar um alicerce seguro para dar novos passos em direção ao crescimento.

O principal problema financeiro que vemos nos escritórios de advocacia é a falta de planejamento. Como já abordamos em um artigo anterior, é crucial que o escritório possua planejamento estratégico, que envolve, entre outras questões, obter uma visão holística para prever o seu fluxo de caixa e preparar-se para despesas e receitas que estão por vir. Quando falta planejamento, o escritório pode entrar em zona de risco para saldar suas obrigações, o que dá início à uma bola de neve. Se a análise mostrar que o escritório está prestes a entrar no “vermelho”, o nosso conselho é: corte custos e renegocie as dividas para virar o jogo.

Aprimore os controles financeiros

De nada adianta que o escritório possua um grande volume de dados, se os registros não forem confiáveis ou se os procedimentos adotados não forem tão bem orquestrados para fornecer as informações em tempo hábil. Para evitar esse tipo de dor de cabeça, o escritório precisa definir quais informações são realmente úteis para as tomadas de decisões financeiras e, em seguida, sofisticar sua gestão.

O método mais recomendado para gerenciar as finanças de um escritório de advocacia é utilizar um software jurídico como o centro das informações. Quando a gestão é feita por dentro de um bom software jurídico, é possível realizar desde tarefas simples, como um controle de contas a pagar e receber, até operações completas, como um repasse financeiro de contas de parceiros. Em nosso blog, já abordamos o assunto de como convencer a gestão do escritório que um software jurídico é fundamental e aqui listamos alguns dos principais benefícios que isso pode trazer:

  • Redução de custos relativos aos processos manuais;
  • Aumento da produtividade com automatização de tarefas;
  • Integração entre os processos de trabalho do escritório;
  • Visão holística para maior assertividade nas tomadas de decisões;
  • Diminuição de retrabalhos e foco no core business;
  • Precisão e confiabilidade na obtenção de informações.

Nós, da Aurum, temos vasta experiência na gestão financeira de escritórios de advocacia, pois somos desenvolvedores do Themis, um dos primeiros softwares jurídicos do Brasil. O Themis recebe constantes melhorias para manter-se sincronizado com as movimentações do mercado e necessidades das advocacias. Conheça melhor o Themis e veja como ele pode revolucionar os processos do seu escritório.