Como identificar a melhor forma de fazer BI para escritórios de advocacia

BI para escritórios de advocacia
Em um de nossos artigos anteriores nós apresentamos o conceito de BI (Business Intelligence) e como escritórios de advocacia podem explorar esse recurso em suas rotinas para otimizar processos e facilitar a tomada de decisões.

Existem diversas maneiras de aplicar essa metologia, cada uma de acordo com o perfil e porte do escritório. É preciso analisar quais as principais características do escritório para assim identificar a melhor forma de executar o BI e obter resultados cada vez mais precisos. Em razão disso, separamos as principais formas de fazer BI para escritórios de advocacia:

Planilhas

– Indicado para: escritórios de pequeno porte ou em início de atividade.

O escritório possui informações que precisam ser analisadas e necessitam de uma fonte de consulta. Se todos os processos e dados constam em planilhas, no caso de escritórios de médio a grande porte, dificilmente as informações estarão parametrizadas de forma que seja possível extrair o que é preciso, ou seja, é necessário fazer um tratamento para tornar os dados consumíveis. Já para escritórios de pequeno porte ou que ainda estão em começo de atividade e não contam com um grande número de clientes, o cruzamento de informações é mais simplificado.

– Prós: praticamente não há custos. É possível designar um assistente para cruzar as informações e criar os gráficos.

– Contras: não é possível contar com informações em tempo real e é preciso realizar a constante manutenção das planilhas.

Themis/Software Jurídico

– Indicado para: a grande maioria dos escritórios, independente do porte.

Se o software jurídico, como o Themis, for bem utilizado pelos usuários e pelo escritório, todas as informações já estarão consolidadas nele e é possível usar a área de relatórios. Essa área é capaz de contemplar grande parte das necessidades que o escritório tem de analisar as informações.

– Prós: os dados já constam no software, o que evita redundância e reduz riscos de erros.

– Contras: se o software não é devidamente alimentado pelos usuários, ele não terá acuracidade de informações. O software não supõe, ele consulta a base de dados para cruzar as informações, logo, se ela não é confiável, então o relatório também não será.

Aplicação dedicada para BI

– Indicado para: escritórios de porte muito grande.

O Themis conta com uma camada de relatórios que pode possibilitar o consumo das informações, mas não é uma ferramenta específica de BI. Para necessidades especiais, como um escritório que conta com um volume muito grande de informações, é necessário uma consultoria do fornecedor do software ou uma aplicação dedicada para BI, pois é necessário um formato de análise diferenciado, que pode ser separado por área de atuação, por região, segmento de clientes etc.

– Prós: alto nível de relatórios e informações analisadas.

– Contras: um projeto como esse possui um custo muito alto.

Contar com uma solução de BI que se aplique adequadamente ao perfil do seu escritório pode trazer inúmeros resultados positivos e melhorias de atuação, além de proporcionar uma visão ampla e dar a gestão uma ferramenta a mais para ajudar no desenvolvimento de novas estratégias.

Precisa de informações sólidas para tomar decisões no escritório?

O software jurídico Themis é indicado para a grande maioria dos escritórios, independente do porte.

Conheça o Software