Abordagem prática: Tecnologia como diferencial competitivo para escritórios de advocacia

Muitos gestores e sócios de escritórios se questionam acerca de investir em tecnologia. Alguns buscam responder perguntas como: Qual o retorno deste investimento? Será que preciso de tecnologia além do que já possuo? Será que terei benefícios práticos ou apenas aparência? E assim por diante.

Hoje, a tecnologia não é uma moda do momento. A tecnologia pode e deve ser utilizada como diferencial competitivo. Alguns exemplos práticos da tecnologia bem empregada como diferencial competitivo:

Redes Sociais: Facebook, LinkedIn, etc

Alguns advogados se perguntam o que pode ser útil em estar nas redes sociais, afinal a fama da rede social é de ser uma espécie de diário da vida das pessoas e não agrega valor ao lado profissional. Ledo engano.

Qual o princípio número zero – ou seja, vem antes do número um – do marketing jurídico permitido pela OAB? Ter, manter, organizar e disseminar uma rede de contatos.

Como chegar naquele presidente da empresa X? Ora, será que ele não estudou com aquele cabeleireiro que corta o seu cabelo? Pode ser que sim. Este tipo de realidade ocorre muito mais do que imaginamos. As redes sociais geram relacionamentos, contatos nacionais e internacionais, fazem a parte de organização destes contatos, enfim, conseguem potencializar a nossa rede de networking.

Site, Blog, Twitter

Hoje ter um site é imprescindível. Sim, é uma excelente forma de apresentar o escritório, demonstrar áreas de atuação e conhecimento/expertise do escritório. Mas, o site é estático e atualizá-lo normalmente tem custo e requer bastante tempo investido. Então, porque não fazer um Blog?

Alguns dirão: Blog é coisa de gurizada que conta sua vida como se fosse um diário on line. Outro engano. Atualmente, blog é largamente utilizado para divulgar conhecimento sobre a expertise do escritório. Mas, como isso pode auxiliar o desenvolvimento do escritório?

Em primeiro lugar, normalmente o serviço de blog está incluso no serviço de hospedagem do site. Isto mesmo, basta entrar em contato com quem hospeda o site e verificar. Segundo, se não estiver, os bons blogs são hospedados em serviços gratuitos, sem nenhum investimento, basta começar a escrever!

Em terceiro, vamos imaginar um diretor da empresa X que está com uma multa enorme por não ter pago INSS. Além de consultar o advogado que já assessora a empresa, ele faz uma pesquisa na internet para encontrar mais sobre este tema. Pronto, ele acha o site e blog do teu escritório. Então ele começa a ler no teu blog  textos dos advogados do teu escritório sobre este tema e se encanta de como o escritório tem conhecimento neste assunto. Pronto, está aberta a porta para um contato da empresa X com o teu escritório. Blog é uma vitrine permanente, 24 horas, 7 dias por semana, 365 dias por ano e 366 dias quando o ano é bissexto.

Não existe razão para não começar o seu blog agora!

E o Twitter?

Twitter é um micro-blogging que permite postagens de no máximo 140 caracteres (mesmo tamanho mensagens de texto celular).

São uma média de 8 a 10 mil usuários novos por dia em todo mundo! Só no Brasil temos um crescimento vertiginoso deste serviço. Pode ser uma boa oportunidade para o seu escritório divulgar suas palestras, posts no blog, etc.

Lembre-se: é através da divulgação e contatos que as possibilidades de clientes irão aparecer!

Software de gestão do escritório

Agora vem a pergunta: Porque um software de gestão do escritório e não um simples software de controle de processos?

Simples: Porque controlar processos é apenas uma das tarefas do escritório.

Nada adianta controlar os processos, se as tarefas internas não estão ajustadas, organizadas e o software não agregar velocidade e inteligência as atividades desenvolvidas.

Existem muitos de softwares jurídicos. Como escolher o ideal ao seu escritório? Faça algumas perguntas:

O quê? – O que quero mudar com este sistema no meu escritório? Será apenas a sistemática de controle de processos? Ou quero controle de produtividade dos advogados e estagiários? Ou quero relatórios gerenciais dos meus clientes pré-programados em certas datas? Ou quero acesso pela internet para mim e meus clientes? Ou quero tudo isto e muito mais?

Quando? – Será que este é o momento ideal para investir em software? Já tenho minhas rotinas devidamente alinhadas? Tenho controles básicos de gestão para que o software seja um auxílio e não um problema?

Como? – Irei apenas contratar um software? Será que não é melhor um trabalho prévio de levantamento de dados e acompanhamento posterior a instalação do software? Irei disponibilizar quem da minha equipe para este projeto, afinal nada acontece sozinho?

Por quê? – Por que quero automatizar esta tarefa? Qual o benefício prático? Qual a relação investimento versus benefício?

Onde? – Quero investir em máquinas, servidores, etc para ter um software instalado no meu escritório? Ou quero investir num produto web que já tenha esta segurança e investimento por mim? E a segurança dos dados?

Com estas idéias já podemos ter a noção que escolher um software não é tão simples como parece. Se você está insatisfeito com o seu produto ou está na busca de um novo, faça estes questionamentos como base de raciocínio. Será um excelente exercício!

Conclusão

Com absoluta certeza, este artigo não busca encerrar o assunto. A idéia é trazer a baila idéias, pensamentos e dicas práticas acerca do tema e oportunizar o leitor a refletir.

Como dica final: Use e abuse do seu networking eletrônico e das ferramentas tecnológicas, pois este diferencial pode ser a grande vitrine do seu escritório, além de potencializar contatos e quiçá clientes!

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Diretor da Consultoria GestaoAdvBr
www.gestao.adv.br  |  gustavo@gestao.adv.br | http://twitter.com/GestaoAdvBr