4 indícios de que o escritório de advocacia não vai bem

Escritório de advocacia não vai bem

Sem sombra de dúvidas, dedicação e amor ao exercício jurídico são dois ingredientes-chave para o sucesso de um escritório de advocacia. Entretanto, eles devem estar suportados por uma série de fatores e processos mensuráveis, essenciais para a sobrevivência de qualquer negócio.

Fechar as portas definitivamente é a situação mais extrema à qual um escritório de advocacia, bem como qualquer negócio, pode chegar. No entanto, existem algumas estratégias que podem ser adotadas para reverter a situação e dar a volta por cima. Para isso, é preciso ficar atento a alguns sintomas que o próprio negócio começa a apresentar, indicando que é hora de mobilizar a equipe e arregaçar as mangas. Para te ajudar, elencamos 4 indícios de que o escritório de advocacia não vai tão bem quanto poderia e apresentamos nossas sugestões do que é melhor a se fazer nessa hora:

Baixa lucratividade

O principal indício é justamente a questão mais impactante para qualquer negócio: a lucratividade. Um baixo rendimento mensal é sinal vermelho e significa que algumas mudanças precisam ser feitas com agilidade, pois este tipo de resultado é visto, normalmente, no médio/longo prazo. Por isso, a dica é: invista em maneiras de otimizar e dar novos rumos ao seu escritório, começando a olhar para os dois principais pilares – o estrutural e o operacional. Para isso, você pode – e deve:

  • Analisar a produtividade de seus colaboradores, com um aplicativo de timesheet;
  • Rever os contratos de seus clientes, com base no tempo de trabalho dedicado em cada um;
  • Renegociar as dívidas – caso elas existam -, para reduzir tarifas e juros, grandes vilões da lucratividade.

Falta de planejamento

Falamos bastante sobre planejamento em nosso blog e, inclusive, já fizemos um webinar que aborda aspectos desse tema. Alguns dos principais erros que podem ser cometidos em um escritório de advocacia são as faltas de planejamento do futuro, de ideias, de planos e de estratégias. Os gestores do escritório, de modo geral, utilizam todo o seu tempo de trabalho atendendo às novas demandas e “apagando incêndios”, sem planejamento algum da rotina. Isso acarreta em desorganização total, a ponto de desconsiderar as reuniões de alinhamento, avaliações e perspectivas – por, teoricamente, não serem tarefas urgentes. Nossas dicas para resolver problemas com planejamento são:

  • Organize seus compromissos diários em uma agenda online – dispense métodos paliativos e engessados, como agenda de papel ou planilhas;
  • Adote um sistema capaz de centralizar todas as informações geradas pelo escritório diariamente, para que você possa ter relatórios personalizados, de acordo com cada análise.

Comunicação defasada

Uma boa comunicação com os clientes é fundamental para o progresso de todo escritório de advocacia, principalmente porque o business é vender serviços. Tão importante quanto a comunicação externa, é a comunicação que o escritório estabelece com seus colaboradores, alinhando e engajando-os nas causas adequadas. Atrelada à essa questão, está um marketing muitas vezes defasado ou deixado de lado, com falta de divulgação adequada do escritório. Nossas dicas são:

  • Aproveite a internet para potencializar a sua comunicação com os clientes e colaboradores;
  • Conforme já falamos em um post anterior, a criação de conteúdo é uma estratégia de marketing muito valiosa para atrair novos e engajar os clientes da base;
  • Invista na fidelização dos seus clientes, pois isso sustenta o escritório e te faz conquistar novos potenciais, através de indicações.

Terceirização da gestão

Deixar a gestão do escritório de advocacia nas mãos de outras pessoas pode ser um grande risco. Isso ocorre porque, muitas vezes, o advogado tem a falsa sensação de que o crescimento da estrutura deve acompanhar o das demandas, o que envolve compra de equipamentos, ocupação de espaço de trabalho e maiores despesas contratuais. O advogado empreendedor – do qual já falamos em um artigo anterior e também em um webinar – tem como umas das principais características ter espírito de liderança, saber delegar tarefas, administrar corretamente as funções dos colaboradores etc. Porém, ele jamais deve deixar sua própria participação de lado e sempre garantir envolvimento nas rotinas e processos do escritório. Para esta situação, a nossa dica é uma só e não poderia ser outra:

Ao invés de contratar mais e mais pessoas e assumir mais gastos, adote um software jurídico. Ele é útil, principalmente, para suportar todas as demandas do escritórios conforme o crescimento e ainda possui áreas específicas para registro dos diversos tipos de informação geradas diariamente.

Além disso, um software para escritórios de advocacia abrange uma série de outras funções capazes de elevar um escritório de advocacia a um novo patamar, com inteligência para integrar, centralizar e proteger as informações jurídicas. Conheça o Themis para escritórios de advocacia, um dos primeiros softwares jurídicos do Brasil, e entenda na prática tudo o que falamos aqui.