4 dicas para o advogado não levar trabalho para casa

Trabalho para casa

Esperamos que você tenha um tempo livre para conseguir ler este artigo, pois o intuito aqui é ajudá-lo justamente nestas pausas do trabalho que são muito importantes para a nossa saúde, mas, ao mesmo tempo, muito difíceis de se encaixar no dia-a-dia. Assim como outros mercados, o universo jurídico é repleto de profissionais realmente apaixonados pelo exercício e, por isso, não é difícil encontrar os chamados “workaholics” (trabalhólatras, ou viciados em trabalhar), que trabalham 60 horas por semana, 12 horas por dia e, mesmo quando estão em casa, não conseguem se desligar dos processos. Acredite: nós te entendemos perfeitamente, porque também somos apaixonados pelo jurídico.

Em alguns casos, o escritório é o verdadeiro culpado pelo acúmulo de demandas, mas na maioria das vezes, é o próprio profissional quem não sabe a hora de dar uma pausa no trabalho. Por isso aconselhamos: se você identificou-se com o tema desse artigo, deve policiar-se para não “deixar de lado” a família e/ou a sua vida pessoal. Sabemos que não é intencional, mas sabemos também que pode ser muito prejudicial ao seu relacionamento em casa. Para te ajudar – e ajudar a sua família – nessa missão, nós listamos algumas dicas para te ajudar a não levar o trabalho para casa e, mais do que isso, parar de pensar nele quando está em casa:

1. Altere seu mindset ao sair do escritório

Para começar, ao sair do trabalho e ir para casa, altere o seu percurso. Se você teve um dia estressante no trabalho, opte pelo caminho mais longo. Durante a primeira metade do caminho desligue o rádio e o celular e pense sobre o que você precisa fazer no trabalho. Na segunda metade, ligue o rádio e comece a pensar em seus compromissos pessoais – a programação do final de semana é uma ótima ideia! Para terminar: quando chegar em casa, vire a chave. O chefe do trabalho não é o mesmo de casa – tome cuidado para não ser muito autoritário com a sua família e lembre-se que as pessoas que dividem o lar com você não são profissionais pagos para atender às suas ordens. Outra dica: crie o hábito de perguntar como foi o dia do(a) seu(sua) parceiro(a), seus filhos ou de quem mais mora com você, pois é comum o ser humano falar muito sobre si mesmo e escutar pouco o que os outros tem a dizer.

2. Sempre que possível, fique offline quando estiver em casa

Ocasionalmente, todos nós precisamos trabalhar à noite ou aos finais de semana. O grande segredo é saber diferenciar o que é realmente urgente do que não demanda uma tomada de ação imediata. Caso a tarefa possa esperar, mantenha seus aparelhos eletrônicos desligados, desde o notebook até o celular. Não faça login no seu e-mail só pela simples curiosidade de descobrir se há algo novo, pois isso induzirá o seu cérebro a já retomar o assunto “trabalho”, pois isso é um dos principais fatores que não te permitem esquecer um pouco do trabalho enquanto está com a família, principalmente pela facilidade de abrir o e-mail em apenas um clique no celular, de onde estiver.

3. Regra dos 25%

Talvez poucos a conheçam por esse nome, mas a regra dos 25% é simples e será muito útil no seu dia-a-dia. Na hora de planejar a sua rotina, seja diária ou semanalmente, deixe 25% do seu tempo livre para resolver aquelas demandas menores que aparecem de última hora e entram na frente das tarefas pré-programadas. Ao fazer isso, também diminui as chances de sobrar trabalho para depois do expediente e de você cair na tentação de ligar o notebook em casa para resolver um assunto “rapidinho”.

4. Levante mais cedo

Para você que madruga às 6 da manhã (ou até antes disso), desconsidere este tópico. Para você que acorda depois desse horário, pense o quão produtivo seria se você acrescentasse 1 ou 2 horas no seu dia. Pode ser difícil no começo, mas logo você verá uma necessidade menor de “correr contra o tempo” e será muito mais natural voltar para casa no horário.

Por fim, tenha em mente que tecnologia é fundamental no dia-a-dia de qualquer profissional, mas pode tornar a rotina improdutiva quando não é utilizada adequadamente. A facilidade que os tablets e smartphones trazem – de se manter atualizados quanto ao e-mail corporativo, por exemplo -, é a principal razão pela qual os advogados criaram o hábito de checar o e-mail mesmo sem nenhuma exigência.

Como desenvolvedores de um dos principais softwares jurídicos do mercado, nós conhecemos muito bem a rotina dos advogados. Por isso, caso tenha dúvidas sobre produtividade ou mais dicas a agregar para “deixar o trabalho no escritório”, deixe-nos um comentário. Para nós, será um prazer respondê-lo.